28 de novembro de 2020
Campo Grande 36º 23º

Economia

Inflação de 0,65% em Campo Grande fica acima da média nacional

Gastos com alimentos, principalmente por conta do custo da carne, e despesas pessoais fizeram índice subir em novembro

Campo Grande registrou inflação de 0,65% em novembro, ficando acima da média nacional no período, que foi de 0,51%. O custo com alimentos e bebidas foi o que mais impactou o resultado do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o índice registrado em novembro é mais que o dobro do calculado em outubro, 0,31%, sendo a maior alta para o período desde novembro de 2015, que foi de 1,29%.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, seis tiveram alta em novembro, com destaque para alimentação e bebidas (1,83%), que apresentou a maior variação no índice do mês, e despesas pessoais (0,85%).

No grupo alimentação, o destaque no relatório do IBGE é com aumento do preço da carne (10,34%).

Os gastos com habitação apresentaram alta, passando da deflação de -0,37% para 0,82%, resultado explicado pela alta da energia elétrica (3,41%), decorrente, em grande medida, da mudança de bandeira tarifária de outubro para novembro.

Os três grupos (alimentação, habitação e despesas pessoais), representa 82% da composição do IPCA de novembro.

Os grupos que apresentaram queda nos preços foram vestuário (-1,16%) e artigos de residência (-0,36%).

No grupo transporte (0,29%), os preços dos combustíveis (-0,04%) desaceleraram em relação ao mês anterior (2,30%), especialmente por conta da gasolina, que variou -0,17% em novembro. Os preços do etanol subiram 0,81%.