22 de setembro de 2020
Campo Grande 27º 18º

CORONAVÍRUS

"Os próximos dias serão dias terríveis em MS", diz secretário de Saúde

Cenário indica que o descuprimento do isolamento social é principal fator que promove aumento dos casos

Leia também

• Covid-19 dispara em MS, mata mais 3 pessoas em 24h e soma 52 mortes

• Uma pessoa de 66 anos e uma 73 são novas vítimas da Covid-19 em MS

• Covid-19 mata duas vezes mais que a dengue e é 837% superior à influenza em MS

Com mais 149 exames positivos para o novo coronavírus (Covid-19) nas últimas 24 horas, o número de casos confirmados da doença no Estado chega a 7.676 nesta 2ª-feira (29.junho). Foram registrados três óbitos, passando para 75 mortes pela doença em Mato Grosso do Sul. As informações foram apresentadas em coletiva de imprensa on-line com autoridades estaduais. 

O secretário de Saúde, Geraldo Resende, alertou nesta manhã que os próximos dias serão terríveis em MS. E que o cenário indica que o descumprimento do isolamento social é o que promove o aumento expressivo dos casos. Ao menos dois municípios, Guia Lopes da Laguna e Dourados já tiveram surto da doença.

Outro fator que preocupa é a taxa de ocupação de leitos no estado. O secretário salientou nesta manhã que o Governo quer aumentar o número de leitos e pediu colaboração de prefeituras com a mãe de obra adequada.  

Do total de infectados, 3.206 estão em isolamento domiciliar, 4.227 estão sem sintomas e já estão recuperados e 171 estão internados, sendo 109 em hospitais públicos e 62 em hospitais privados. Além de três pacientes que estão internados fora do Estado. Geraldo Resende indicou nesta manhã que há mais de 3 mil casos em abertos, isso é, não foram encerrados nos municípios. E que temos uma taxa de reprodução viral muito grande em MS.

A Secretaria de Estado de Saúde publica o boletim epidemiológico referente às notificações de casos suspeitos de coronavírus (Covid-19) diariamente. As informações divulgadas pela Secretaria são os dados oficiais consolidados do Estado que são repassados ao Ministério da Saúde.

"Controle me parece cada vez mais frágil. A contribuição da nossa população está sendo horrível. Esperamos que por compaixão as pessoas passem a aderir ao isolamento(...)", finalizou o Secretário. 

VEJA O BOLETIM DE HOJE AQUI.