30 de novembro de 2021
São Paulo 39º 24º

Tucanos não acreditam que PMDB possa abrir mão do Senado

A- A+

Os dirigentes tucanos não acreditam na informação veiculada na imprensa de que o senador Moka (PMDB) teria afirmado que o PMDB possa abrir mão da candidatura ao senado para favorecer alianças que fortaleçam o pré-candidato ao governo, Nelsinho Trad (PMDB). De acordo com o presidente regional do PSDB, deputado estadual Márcio Monteiro, os peemedebistas sempre sinalizaram que vão compor chapa majoritária.

“Não é isso que o governador André (Puccinelli, PMDB) tem colocado. Não sei, não conversei com o Moka sobre isso nem com presidente do partido (deputado estadual Junior Mochi). Conversei com o Nelsinho que reafirmou que o PMDB tem dois pré-candidatos: André ou a Simone. Não sei se é vontade de pessoal dele”, declarou.

Com a ordem de criar palanque para o presidenciável senador Aécio Neves (PSDB), a possibilidade de aliança com o PMDB não altera o curso da pré-candidatura do deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) que pode concorrer tanto ao senado quanto ao governo do Estado. “Só vamos definir quando terminar o “Pensando MS”. A nossa decisão será só em maio. A verdade é que o partido vai procurar o melhor encaminhamento e que tenha projeção maior do partido”.

Apesar de manter todas as opções em aberto, Márcio Monteiro admite que haja uma pressão da militância tucana para que Reinaldo Azambuja se candidate a governador. “As lideranças do partido no interior têm manifestado apoio ao Reinaldo na disputa de uma vaga majoritária, mas a preferência é que ele seja candidato ao governo. Só que o senado também preenche essa necessidade”, revelou.

Diana Christie