03 de agosto de 2021
Campo Grande 30º 14º

TENENTE VIOLENTO | BODOQUENA

"Vai acabar matando alguém", diz vítima de agressões sobre transferência do PM para a Capital

2º Tenente passará a trabalhar em serviços administrativos na Capital sul-mato-grossense

A- A+

A determinação do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) que autorizou a transferência do 2º Tenente de Policial Militar André Luiz Leonel que agrediu uma mulher de 44 anos a socos em 26 de setembro, e depois foram revelados vários casos de abusos praticados pelo militar causou revolta na população de Bodoquena. Um comerciante humilhado pelo militar disse ter recebido com temor a decisão de transferência do PM para a Capital. “Ele vai acabar matando alguém, ele louco, precisa de tratamento, um maluco de farda, um perigo”, disse o jovem que terá o nome preservado. 

O jovem entrevistado pelo MS Notícias, autorizou que o pai (dono do comércio) divulgasse vídeo ontem (23.nov) onde Leonel aparece o obrigando a catar garrafas de cerveja em uma lixeira na lateral do comercio de sua família. (Veja AQUI).

Após a decisão do Estado, publicada nesta 3ª-feira (24.nov.2020) no Diário Oficial do Estado (DOE), onde derrubou a patente do 2º Tenente, que passará, segundo a decisão, a trabalhar em serviços administrativos na Capital sul-mato-grossense. O jovem alertou: “O cara é psicopata, está doente...vai ser um perigo para as pessoas aí de Campo Grande”, disse. 

Segundo rapaz, Leonel deveria na verdade ser exonerado e tratado, pois não há outra explicação para as violências praticadas pelo PM. “Eu já vi esse cara xingar pessoas nas ruas por nada, simplesmente para humilhar os outros...Ficar gritando com pessoas dizendo para pagar outra pessoas... humilhações em no meio da rua”, recordou. 

Ontem (23.nov.2020), a mulher de 44 anos esteve em Campo Grande e denunciou o tenente na Corregedoria da Polícia Militar. Ela disse que antes de o MS Notícias trazer o vídeo a público, temia retaliações por parte do PM ao seu esposo que é cabo da PM em Corumbá.

O comerciante, disse que a violência contra mulher é uma das que foi filmada, mas segundo ele é de praxe, Leonel usar a força, humilhar cidadãos em Bodoquena. “Aqui direito, chegava nas mesas humilhando as pessoas...Meu pai, ele frequentemente tenta humilhar, diminuir, agride gritando sem necessidade. Depois que meu pai responde ameaça que vai prender ele por desacato... Vivemos dias terríveis com esse cara aqui”, relatou.

Para o jovem, apenas afastar o PM é pouco, a população de Bodoquena pede que ele seja exonerado, pague pelos crimes e que ele seja tratado com profissionais. “É doente da cabeça, maluco de uma vez, um perigo um cara desse andar armado por aí”, finaliza o jovem pedindo rigor e Justiça.