04 de agosto de 2021
Campo Grande 28º 14º

Após convenções, Dilma tem 45% do horário político

A- A+

images-cms-image-000378892images-cms-image-000378892

A principal busca em uma aliança política no período eleitoral – o tempo de TV – tem garantido à presidente Dilma Rousseff larga vantagem diante de seus principais adversários. Com as recentes adesões ao projeto do PT, a pré-candidata à reeleição pode somar entre 11 e 12 minutos em rede nacional de rádio e TV, cerca de 45% no tempo total de propaganda eleitoral, caso o cenário se confirme até o fim das convenções partidárias, na segunda-feira 30.

Nesta quarta-feira 25, o PP, presidido por Ciro Nogueira, e o PSD, de Gilberto Kassab, oficializaram apoio à candidatura petista, acrescentando, juntos, mais cerca de 2 minutos e 40 segundos à propaganda de Dilma. Na semana passada, o PDT e o PMDB já haviam formalizado a aliança com a presidente. E o PR, que teve atendida a exigência da troca do ministro dos Transportes, deve anunciar seu apoio na próxima segunda-feira.

Apesar de algumas decisões ainda estarem sujeitas a mudanças pelas cúpulas dos partidos, é praticamente certo que Dilma consiga o mesmo número de partidos conquistados em 2010, quando se elegeu presidente da República. Até agora, estão com Dilma PMDB, PCdoB, PROS, PTB, PP, PSD, PR, PRB e PDT, além do PT.

A propaganda para presidente é dividida em dois blocos diários de 25 minutos cada. Dessa forma, Dilma já tem quase metade do total. Vale lembrar que um terço desse tempo, ou seja, oito minutos e 20 segundos, é dividido igualmente entre todos os candidatos. O restante é dividido de acordo com o peso, na Câmara dos Deputados, dos partidos que compõem cada uma das coligações. A de Dilma, por exemplo, conta com 357 dos 513 deputados federais.

Adversários

A presidente pode ter o tempo de TV quase três vezes maior do que o de seu principal adversário, o tucano Aécio Neves, e praticamente seis vezes maior do que o de Eduardo Campos, do PSB. O pré-candidato do PSDB à presidência, que conta com o apoio declarado do DEM, do Solidariedade, de Paulinho da Força, e agora do PTB, que fazia parte da coligação de Dilma, tem 99 parlamentares em sua base, o que dá pouco mais de cinco minutos de propaganda.

Já Campos é o que conta com a menor fatia: possui uma base de 33 deputados e cerca de um minuto e meio de TV. O pré-candidato socialista, que tem a ex-senadora Marina Silva como candidata a vice-presidente, contabiliza o tempo do PPS, de Roberto Freire, e de nanicos como o PSL, o PRP e o PHS.

Brasil 247