15 de agosto de 2020
Campo Grande 35º 22º

Julgamento de Morsi é adiado no Egito em meio a protestos de rua

O Estado de S. Paulo

morsi_ap_egito

O julgamento do presidente deposto do Egito, Mohamed Morsi, foi adiado nesta segunda-feira, 4, para 8 de janeiro de 2014, em meio a protestos e um forte esquema de segurança nas ruas do Cairo. Ao se apresentar à Corte, Morsi apresentou-se como o legítimo presidente do Egito e disse que se negava a aceitar a autoridade dos juízes.

"Eu sou o doutor Mohammed Morsi, o presidente da república. Eu sou o legítimo presidente do Egito",disse o líder deposto. "Eu me recuso a ser julgado por este tribunal."

Segundo os funcionários de segurança, ele também rejeitou as ações movidas contra ele. As acusações de que teria autorizado a repressão contra manifestantes contrários à Irmandade Muçulmana em dezembro podem levá-lo à pena de morte, caso seja condenado.

As autoridades decidiram mudar de última hora o local do julgamento de Morsi, um movimento aparentemente destinado a frustrar comícios planejados pela Irmandade Muçulmana.

A segurança foi reforçada em torno do local do julgamento, com centenas de policiais vestidos de preto apoiados por veículos blindados utilizados em todo o imenso complexo.