26 de setembro de 2020
Campo Grande 37º 24º

Cidade Agropecuária é discutida pelo executivo municipal

O titular da Sedesc ( Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Ciência e Tecnologia e do Agronegócio) , Edil Albuquerque, reuniu-se nesta manhã com o presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Francisco Maia, onde foi discutida a transformação do Parque de Exposições em Cidade Agropecuária. Transformar o Parque de Exposições na Cidade Agropecuária é uma importante saída para os produtores e agricultores de Mato Grosso do Sul, de acordo com o presidente da Acrissul.  No local onde estão as baias, serão montados os escritórios que terão uma importante finalidade para quem trabalha no ramo da comercialização do rebanho bovino. Para que tudo isso aconteça é preciso de incentivos através do Prodes. Para o secretário Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, João Alberto Borges dos Santos a proposta da Acrissul é muito interessante para Capital. “Campo Grande precisa desse potencial e está pronta para contribuir para materialização deste projeto. Para que isso aconteça temos que construir algo positivo entre a Prefeitura e Acrissul. Queremos que todos trabalhem num só propósito e dentro das diretrizes das leis municipais”. O objetivo da criação da criação da Cidade Agropecuária é abrigar, num só local, escritórios, serviços, todos voltados ao agronegócio e, desta forma, facilitar o trabalho dos agricultores e pecuaristas. O titular da Sedesc, Edil Albuquerque disse que transformar o Parque de Exposições na Cidade Agropecuária é um importante negócio para Campo Grande. “É uma atitude louvável da direção da Acrissul. Com esta iniciativa, o setor agropecuário acompanha o desenvolvimento da cidade. Esta reunião demonstra que o setor agropecuário está preocupado com os pecuaristas e, nós da Sedesc, do poder público estamos prontos para acompanhar e auxiliar a materialização desse projeto que, com certeza, vai gerar inúmeros empregos”, finalizou.