13 de junho de 2021
Campo Grande 25º 11º

Força Aérea Brasileira

FAB comemora o Dia do Especialista de Aeronáutica

A- A+

Em algumas Bases espalhadas pelo Brasil é comum encontrarmos a frase: “Voar é mais fácil que fazer voar”. E isso traduz bem o conceito do que é ser um Especialista de Aeronáutica. Mesmo que esse militar não tenha ligação direta com o voo, seu serviço certamente está ligado a atividade fim da Força Aérea que é colocar suas máquinas de guerra no ar. Nas mais de 25 especialidades diferentes, há praticamente um militar específico para cada uma das funções vitais a Aeronáutica e cada um é peça fundamental para que um avião decole no cumprimento sua missão.

Para homenagear esses militares foi escolhido o 25 de março como o Dia do Especialista de Aeronáutica. A data, que é celebrada em toda a Força Aérea, contou com uma Solenidade Militar na Base Aérea de Campo Grande, onde um grupamento formado pelos Especialistas da Organização Militar ficou em destaque. Também foram entregues Medalhas Militares Bartolomeu de Gusmão aos seguintes Especialistas que se destacaram no cumprimento de seu dever: Suboficial Márcio Henrique Teixeira, Suboficial Paulo Edson Ribeiro Campos, Primeiro Sargento Wellington Cesco Fernandes, Primeiro Sargento Luciano Elis Cesário, Segundo Sargento Newerton Antônio Monteiro, e Segundo Sargento Vinicius Mello Galo.

Atualmente existem na FAB mais de 24 mil militares na ativa, homens e mulheres, que se formaram pela Escola de Especialistas da Aeronáutica (EEAR), em Guaratinguetá (SP). A formação dos Especialistas dura de seis meses a dois anos.

 Há militares que atuam como membros de esquadrões aéreos e tripulantes de aeronaves, a exemplo dos especialistas em armamento, fotointeligência e mecânica de aeronaves. O suporte às atividades aéreas envolve ainda as especialidades de equipamento de voo, estrutura e pintura, eletricidade e instrumentos, eletromecânica e bombeiro aeronáutico. O controle de tráfego aéreo é outro setor de destaque para os Especialistas. Também há profissionais em áreas, como meteorologia, cartografia e informações aeronáuticas. Já os militares de setores de apoio são os especialistas em obras, informática, administração, topografia, pavimentação, suprimentos, desenho, metalurgia, eletrônica, eletricidade, enfermagem, radiologia, laboratório e música.

Um especialista da FAB atua na sua especialidade e cumpre outras atividades, como a segurança de quartéis, marchas, uso de armamentos e liderança de grupamento de soldados. Há, ainda, os especialistas em guarda e segurança, voltados para esse tipo de missão. Algumas especialidades ainda podem atuar em equipes de busca e salvamento ou como paraquedistas.

Após a formatura na EEAR, os profissionais são promovidos a Terceiro-Sargento podendo, ao longo de 30 anos de carreira, passar a Segundo-Sargento, Primeiro-Sargento e Suboficial. Por meio de concurso interno, eles podem ingressar nos quadros de oficiais especialistas, alcançando o posto de coronel. Atualmente, são mais de 1,8 mil oficiais especialistas na FAB, sendo nove no posto mais alto.