24 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 21º

Governador entrega cheque de R$ 2 milhões a Santa Casa e garante 13° dos funcionários

O governador André Puccinelli entregou na tarde desta segunda-feira (23) um cheque no valor de R$ 2 milhões para o Hospital Santa Casa de Campo Grande. O auxílio financeiro foi entregue ao diretor-presidente da Associação Beneficente de Campo Grande (ABCG), Wilson Teslenco, na presença do secretário de Estado de Saúde, Antônio Lastória e de demais diretores daquele hospital.

Conforme lembrou o governador, na última sexta-feira (20), o governo do Estado repassou para 42 hospitais filantrópicos de Mato Grosso do Sul recursos da ordem de R$ 6.687.568,20 que vão garantir fôlego e alívio nas contas deste fim de ano. O auxílio vai custear principalmente o décimo terceiro salário dos funcionários dos hospitais.

“Na mesma proporção em que demos a outros hospitais filantrópicos estamos destinando recursos à Santa Casa. Graças à equipe tivemos num recolher financeiro no final do exercício de 2013 alguns recursos. Repassamos para 42 instituições filantrópicas e hoje - como a Santa Casa também é um hospital de referência filantrópica - destinamos os recursos para fazerem frente ao custeio”, disse o governador.

De acordo com Puccinelli, os recursos não suprem totalmente o custo da folha do abono, mas o repasse representa o esforço para destinar essa sobra ao setor da saúde. Essa 'rapa de tacho’, como definiu, vai culminar no próximo dia 26 com o repasse de outros recursos à saúde, desta vez, a quatro grandes municípios. “No dia 26, nas referências das macrorregiões, repassaremos a Campo Grande [onde ainda está incluída a macrorregião de Corumbá, que será desmembrada], Dourados e Três Lagoas mais R$ 2,5 milhões. Rapamos o caixa no fim de ano e em vez de destinarmos a outros setores destinamos à saúde do nosso Estado”, comentou. As macrorregiões receberão recursos que serão destinados a procedimentos de média e alta complexidade.

Alívio e parceria

Segundo o diretor-presidente da Associação Beneficente de Campo Grande (ABCG), Wilson Teslenco, o repasse feito pelo governo do Estado vai repor os recursos destinados a materiais e medicamentos, dinheiro esse que acaba sendo utilizado para pagar o décimo terceiro e que cria dificuldades ao hospital. “Com esses recursos vamos suprir as necessidades dos materiais e medicamentos e manter o hospital operando em perfeitas condições”, disse.

Em sua fala de agradecimento, Wilson Teslenco destacou a parceria do governo do Estado, seja no propósito de obter o empréstimo junto à Caixa Econômica Federal no valor de R$ 80 milhões ou no auxílio para o custeio do hospital. “Nesse momento em que as despesas do hospital são altas, ele [governo do Estado] pode contribuir com esse custeio para medicamentos e materiais. Não tínhamos dinheiro para pagar todo o décimo terceiro, tanto é que os recursos que o hospital tinha no caixa eram para pagar fornecedores ao longo da semana. Nós tínhamos dúvidas de tomar essa decisão, mas entendemos que o compromisso que o governador tinha feito nos deixava confortáveis para rapar o tacho e pagar o décimo terceiro porque nós podíamos contar com esse recurso [do Estado] essa semana”, salientou.

O diretor-presidente da Associação Beneficente de Campo Grande (ABCG), lembrou ainda que na semana passada o governador sancionou a lei onde o Estado participa do pagamento do empréstimo junto à Caixa viabilizado para a recuperação financeira daquele hospital. “Tenho dito ao governador que eu reconheço isso como sinal de extrema responsabilidade da parte dele em relação à saúde do Estado. É um momento de alegria porque vencemos mais uma etapa e isso é sinal de relacionamento de alto nível com o poder público estadual e que nós podemos contar com um parceiro que de fato se importa, se envolve e se compromete com a Santa Casa”, ressaltou.

Conforme Wilson Teslenco, o décimo terceiro representa uma folha de pagamento de R$ 6,5 milhões. O hospital conta com três mil funcionários e deste total cerca de 500 são médicos.

Heloísa Lazarini com assessoria