26 de outubro de 2021
Campo Grande 29º 17º

Geral

Mais social: famílias já podem usar R$ 200 nesta terça (21.set)

A estimativa é que mais de R$ 240 milhões por ano sejam investidos pelo Governo do Estado no programa

A- A+

Beneficiários do programa Mais Social já podem utilizar o crédito de R$ 200 disponibilizados nos cartões nesta terça-feira (21.set). Os benefícios sociais pagos pelo Governo do Estado hoje ultrapassam os R$ 5,7 milhões e atendem mais de 30 mil famílias em Mato Grosso do Sul.

"Com a disponibilização deste crédito estamos atendendo as famílias mais vulneráveis de nosso Estado. O beneficiário, com o cartão e senha em mãos, já pode escolher o mercado de sua preferência para utilizar os R$ 200,00. Dentre os beneficiários que estão migrando do antigo Vale Renda e os novos do Mais Social, atendemos hoje mais de 30 mil famílias", pontuou o secretário em substituição da Sedhast, Adriano Chadid.

SOBRE:

No Mais Social cada visita é mapeada e os documentos necessários conferidos com clareza para que os recursos públicos investidos cheguem realmente nas mãos de quem precisa. A estimativa é que mais de R$ 240 milhões por ano sejam investidos pelo Governo do Estado no programa, com a inclusão de 100 mil famílias.

Além disso, o programa Mais Social é de caráter permanente e tem um diferencial de não expirar após o fim da pandemia. O programa do Governo do Estado é gerido pela Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast).

MAIS SOCIAL 

O Mais Social é um auxílio pensado pela equipe do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul para atender as famílias em situação de vulnerabilidade social, insegurança alimentar e nutricional. O programa vai pagar R$ 200 mensais para beneficiários que têm renda mensal familiar per capita inferior a meio salário mínimo. As 100 mil famílias beneficiárias do Mais Social estão sendo extraídas conforme dados disponibilizados pelo CadÚnico. Conforme a regulamentação do programa, será concedido um benefício por família.

Equipes da Sedhast estão realizando o contato com os beneficiários, portanto é necessário aguardar a visita desses grupos de trabalho que estarão devidamente identificados e respeitando as normas de biossegurança adequadas ao atual momento de pandemia.

Leomar Alves Rosa, Sedhast

Tags: Mais Social