24 de julho de 2024
Campo Grande 31ºC

Pedofilia: testemunho de pastor incrimina Olarte, afirma advogado

A- A+

Para o advogado José Pinheiro Tolentino Filho – que também é jornalista e diretor da publicação online “Jornal da Cidade” -, são fortes as evidências de que o prefeito Gilmar Olarte deve, no mínimo, ser processado pela acusação de abuso sexual de menor. Tolentino Filho vai mais longe, afirmando que aos autos do processo e da investigação sobre a derrubada do prefeito Alcides Bernal, que permitiu a ascensão de Olarte, podem incriminar o atual mandatário de Campo Grande.

Em artigos que vem publicando constantemente, o advogado se mostra convicto de suas afirmação ao citar testemunho de um pastor evangélico, a seu ver capaz de levar Olarte a ser julgado por estupro e pedofilia. Primeiro, ele questiona: “Qual o crime mais grave, mais doloroso, mais degradante, mais repugnante: estupro ou pedofilia”? E em seguida completa o raciocínio: “Resposta impossível. Ambas as práticas criminosas são extremamente graves, dolorosas, degradantes e repugnantes. E o dito pastor Gilmar Olarte, fundador, presidente e líder da igreja ADNA – Assembleia de Deus Nova Aliança – pode estar envolvido nas duas práticas criminosas”.

O testemunho a que se refere Tolentino Jr é o de Mauro Alessandro Souza de Freitas, pastor da igreja de Olarte. Em depoimento à Polícia, Freitas disse ter ouvido de Salem Pereira Vieira que possuía vídeos mostrando o prefeito em intimidades sexuais com meninas numa chácara. Salem é outra das pessoas presas durante a operação do Grupo de Apoio Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), na investigação das denúncias de que a derrubada de Bernal havia sido financiada por agiotas e empresários. Um dos mandados de busca e apreensão foi na casa do próprio Olarte.

Tolentino Jr pinçou trechos dos depoimentos para sustentar seus argumentos. No depoimento do pastor Mauro Freitas ele destaca três trechos, a seguir:

1 - “(...) que Salem disse ainda que possuía um vídeo gravado, onde Gilmar Olarte apareceria mantendo relações sexuais com meninas menores de idade, que Salem disse para o declarante que o vídeo foi feito em uma festa, em uma chácara(...)”.

2 - (...) que presenciou Salem xingando por telefone Gilmar Olarte, bem como dizendo que “iria riscar a cara do mesmo, que em uma dessas ligações, Salem colocou o telefone em viva voz e passou a acusar Gilmar Olarte de ser “pedófilo”, que na ligação não percebeu qualquer indignação por parte de Gilmar Olarte (...)”.

3 - “(...) A Bya (jornalista Bya Arraes) confidenciou para o declarante ter visto outro vídeo, gravado por uma mulher, onde Gilmar Olarte apareceria mantendo relações sexuais com um menino excepcional (...)”.

Tolentino Jr diz não ter dúvidas da necessidade de essa suspeita ser esclarecida em definitivo e ainda faz analogia ao recente caso envolvendo o vereador Alceu Bueno, flagrado quando pagava extorsão a dois homens que estariam ameaçando divulgar imagens de supostas aventuras sexuais com adolescentes. “É o que se depreende analisando as investigações que resultaram na denúncia pelo cometimento dos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e estelionato. Os autos estão carreados de provas e testemunhos da prática de crimes sexuais e as investigações com relação a estas questões necessitam ser retomadas e aprofundadas, principalmente depois que outro pastor, Alceu Bueno, também aparece envolvido em esquema semelhante”, enfatiza Tolentino Jr.