14 de junho de 2021
Campo Grande 27º 13º

Presidente da ACP diz que perdeu uma batalha, mas não a guerra

A- A+

O presidente da ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação), Geraldo Gonçalves disse após decisão da categoria de voltar às salas de aula, que os professores perderam uma batalha, mas não a guerra, pois a luta pela integralização do piso salarial continua. “Nós saímos com um sentimento que nós lutamos, fizemos a luta, nem sempre você ganha a batalha, nós perdemos a batalha, mas não a guerra. A categoria decidiu voltar, em respeito aos alunos, aos pais e a sociedade”, disse.

Hoje à tarde será enviado um ofício ao prefeito comunicando que os professores não estão mais de greve e solicitando uma nova audiência com o prefeito para cobrar o cumprimento da lei.

Hoje também a diretoria da ACP terá uma reunião com a secretária de educação, Ângela Brito para definir um calendário único para reposição das aulas, uma vez que a classe ficou apenas dez dias paralisada. “Considerando que hoje é o décimo dia sem aula, a ACP irá conversar com a secretária de educação para ver um calendário de reposição, hoje à tarde”, explicou.

Geraldo afirma que o prefeito Gilmar Olarte (PP), garantiu que se a greve acabasse ele faria o pagamento do reajuste e que agora a classe vai cobrar isso. “Todo movimento tem o seu limite, e o prefeito não quis cumprir a lei e a categoria, por própria vontade resolveu recuar, agora cabe ao prefeito cumprir a lei e o que ele disse que quando a categoria voltasse ele ia cumprir a lei. Os professores não esquecerão de cobrar o cumprimento da lei e a valorização dos trabalhadores”, afirmou.

Professor Geraldo também disse que irá informar a justiça, através do advogado, que a classe voltou aos trabalhos e vai continuar com ação para provar que a greve não era ilegal. “A greve tem uma função pedagógica, nunca na história foi dado nada de graça para os trabalhadores. Os professores voltaram sabendo que cumpriram uma luta”, finalizou.

Leide Laura Meneses