16 de janeiro de 2021
Campo Grande 28º 22º

Representantes do MST e Incra entram em acordo

Representantes do MST/MS (dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), firmaram acordo com o superintendente regional do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), Celso Cestari e avaliam ter avançado nas negociações. Isso somente após realizarem bloqueios em rodovias federais, a BR-163 e a BR-267 e ocupar a sede do Incra.

As negociações entre o MST, CUT/MS/Rural (Central Única dos Trabalhadores Rural), Fetagri/MS (Federação dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e do Mclra (do Movimento Camponês de luta pela Reforma Agrária), com o superintendente, para protocolar a pauta das reivindicações e solicitar a presença de um representante nacional do órgão, os manifestantes resolveram ceder.

De acordo com o dirigente nacional do MST/MS, Jonas Carlos da Conceição, ficou firmado que até junho haverá a liberação de 39 mil hectares de terra para a construção de novos assentamentos. "Já são quatro anos de Reforma Agrária parada em MS, que historicamente é o Estado que mais assentou famílias no Brasil, por isso acreditamos que a disponibilização de 24 hectares de terra para assentamento, na região de Nova Alvorada do Sul até Casa Verde e mais 15 mil hectares de terra entre a área localizada de Campo Grande ao município de Terenos, significa um avanço", destacou.

As localizações exatas das terras não foram divulgadas porque muitas estão em processo de regularização, outras já foram ofertadas para o Incra, enquanto algumas ainda faltam ser vistoriadas. A quantidade de famílias beneficiadas ainda não foi computada, já que serão destinadas áreas que devem passar por transformações, como ampliações de estradas e reservas florestais, para depois serem repassadas.

Jonas Carlos disse que a ocupação da sede do Incra, do Banco do Brasil e das rodovias faz parte da Jornada Nacional de Luta pela Reforma Agrária e o que o maior objetivo é avançar nesse sentido e garantir o canal de diálogo. "Nós desbloqueamos as rodovias e saímos do Incra já à noite, por volta das 21h, saímos com o compromisso do superintendente sobre a criação dos assentamentos, do pagamento de duas áreas que o Instituto está adquirindo até junho, e o parcelamento da Fazenda Nazaré, em Sidrolândia. Além disso, também firmamos o compromisso sobre o atendimento das reivindicações das comissões dos assentamentos e acampamentos que se reuniram com os responsáveis de cada setor no Incra, na tarde de ontem", destacou.

O dirigente afirma ainda, que está otimista com as negociações, mas que a batalha continua. "Nós cedemos porque estamos confiantes, mas estamos aguardando a atuação deles e vamos continuar mobilizados em Brasília/DF, com comissões de negociações, indo tratar diretamente dessas questões", concluiu.

Tayná Biazus com Assessoria