20 de outubro de 2020
Campo Grande 30º 21º

"Samuzinho" será implantado em Campo Grande

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel às Urgências) recebe hoje mais de 54 mil ligações mensais, sendo que destas, 21 mil são de pessoas que buscam orientações ou informações para o atendimento pediátrico. Pensando nisso, um projeto criado entre a primeira-dama, Andreia Olarte, e o próprio Samu, estuda a possibilidade da implantação do “Samuzinho”, que irá promover o atendimento de urgência e emergência para o público na faixa etária de zero a doze anos de idade. De acordo com o coordenador do Serviço, Eduardo Curi, a busca por essa alternativa, diferente daquelas  que já vinham sendo utilizadas, tem como objetivo inicial fazer uma leitura da demanda e entendimento dos campos de ação que o Samuzinho irá atuar, para que aos poucos o sucesso seja obtido. A princípio o projeto irá contar com uma unidade do Samuzinho, adaptada para atendimentos pediátricos, que será adquirida com recursos próprios, ou seja, recursos oriundos da prefeitura de Campo Grande, que será administrada pelo Samu. Cury lembrou ainda que as 21 mil ligações mensais representam 54% das ligações recebidas pelo Samu e dessas, cerca de 700 casos são ligações em que a criança corre risco de vida. “Depende muito da estação do ano, mas é um número que nos assusta. Por exemplo, essa época que está entrando, a maior demanda será devido aos problemas respiratórios”. O projeto de implantação da viatura pediátrica se justifica pelo fato de crianças gravemente doentes necessitarem ser transportadas por médico pediatra.  A  prefeitura irá disponibilizar equipes com médico especialista em pediatria e neonatologia, enfermeiro especializado em pediatria e neonatologia, técnico de enfermagem e motorista socorrista. Para equipar o veículo, o SAMU deverá utilizar os materiais e equipamentos de suporte avançado de vida disponíveis na rede pública de saúde. Tayná Biazus