08 de dezembro de 2021
Campo Grande 32º 22º

SENADO | PANDEMIA

AO VIVO: CPI apura se Prevent teve "blindagem" da ANS para executar "tratamento precoce"

Hospitais da seguradora foram usados como laboratório para testar medicamentos sem eficácia comprovada contra Covid-19

A- A+

Paulo Roberto Rebello Filho é diretor-presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar, é quem fala na Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia hoje (06.out.2021), sob suspeita de que a ANS tenha "blindado" a seguradora de saúde Prevent Senior para aplicação do chamado "tratamento precoce". 

— Há muitos documentos e comentários de que os diretores executivos da Prevent Senior, quando sentiam alguma insatisfação de algum médico para pôr em prática o "protocolo" e aplicar o “kit covid”, diziam: "Olha, fica tranquilo que a ANS não chegará aqui" — disse o relator da CPI, Renan Calheiros, na 3ª feira (05.out.2021). 

O próprio diretor-executivo da Prevent, Pedro Benedito Batista Jr, garantiu em seu depoimento à CPI que sua empresa foi investigada pela ANS, porém, com processos arquivados. 

Indicado por Jair Bolsonaro, Rebello deve ser questionado sobre as medidas que a agência reguladora tomou ou deveria ter tomado dianta das atividades médicas irregulares da Prevent Senior, executadas durante a pandemia. Vale ressaltar que ele foi chefe de gabinete do Ministério da Saúde entre 2016 e 2018, na gestão do deputado Ricardo Barros (PP-PR), que é investigado pela CPI.

Conforme a Rede Brasil Atual, essas cobranças da CPI sobre a ANS tornaram-se mais fortes depois do depoimento da advogada Bruna Morato, que representa o grupo de médicos da Prevent. Ela disse que os profissionais eram obrigados a receitar o “kit covid” para pacientes, e que os riscos dos medicamentos não eram informados. O dossiê relata que hospitais da Prevent Senior eram usados como "laboratórios" para estudos com medicamentos sem eficácia comprovada para o tratamento da Covid-19, como a hidroxicloroquina.