21 de outubro de 2020
Campo Grande 29º 21º

Após cancelamento do Leilão da Resistência, Botareli é ameaçado de morte

O presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Botareli, foi ameaçado de morte agora pouco após a decisão da juíza da 2ª Vara de Justiça Federal de Mato Grosso do Sul, Janete Lima Miguel, de suspender, por meio de liminar, o Leilão da Resistência que seria realizado no próximo sábado. “Fico preocupado com a minha segurança, mas isso não vai me intimidar nem fazer recuar da minha luta que é lutar pela classe menos favorecida. É claro que vou ser mais cuidadoso, porém vou continuar engajado nos trabalhos sociais. Acredito que depois disso o movimento pode ganhar mais força e mais pessoas engajarem na causa”, declarou. Botareli conta que se dirigia ao MPF (Ministério Público Federal) para impetrar uma ação contra a Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) e a Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de MS) por fazer apologia à violência no campo, quando recebeu uma ligação de sua secretária que se identificou apenas como Gisele, informando que um homem ligou na sede da Fetems se passando por pistoleiro e ameaçando a vida do líder sindical. Diana Christie e Clayton Neves