12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Azambuja anuncia investimentos no Cras, Parque das Nações e Afonso Pena

A segurança será aumentada no parque das Nações e nos Altos da Afonso Pena, além de o Cras ser ampliado

A- A+

Na manhã de sábado, o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), anunciou a ampliação do CRAS (Centro de Recuperação de Animais Silvestres), para que os animais sevam abrigados de maneira adequada. Também foi anunciado o aumento da segurança no Parque das Nações Indígenas, e também nos altos da Avenida Afonso Pena.

O tucano, juntamente aos secretários do meio ambiente, Jaime Verruk e da infraestrutura, Marcelo Miglioli,  também visitou o Parque do Prosa, o viveiro dos peixes que irão para o Aquário do Pantanal, na PMA (Polícia Militar Ambiental) e o Parque das Nações Indígenas, onde também conheceu a Central de Monitoramento no pelotão do Parque dos Poderes e a Casa do Pantaneiro.

De acordo com Azambuja, está sendo refeita toda a iluminação do Parque das Naações Indígenas, trocando as lâmpadas queimadas por de led, diminuindo aos custos e garantindo mais segurança para a população, além de ampliar o monitoramento por câmeras e fortalecer o pelotão da PMA. Cerca de 270 lâmpadas serão trocadas, e as câmeras de vídeo serão colocadas na Avenida Afonso Pena.

Cras: O Cras, que já teve uma reforma e nova pintura  terá o ambiente melhorado para a visitação e os recintos dos animais serão ampliados. O Objetivo da unidade é que seus 135 hectares preservem amostras de ecossistemas do cerrado, e as nascentes do Córrego Prosa, formado pela confluência dos córregos Desbarrancado e Joaquim Português, todos na área do Parque dos Poderes.

Aquário: Ao visitar o viveiro dos peixes que irão para o Aquário do Pantanal, Azambuja criticou  falta de planejamento e respeito ao dinheiro público pela administração anterior ao antecipar em vários meses a captura e aquisição dos exemplares.

De acordo com ele, a obra poderá ser entregue no final do ano e a captura dos peixes poderia ser aguardada. Para manter os animais nos tanques, o Estado utiliza cerca de R$ 120 mil/mês, incluindo pagamento de água e energia. O Governo mantém para o Aquário do Pantanal cinco mil exemplares de 136 espécies de peixes.