10 de maio de 2021
Campo Grande 32º 18º

Política

Azambuja fortalece “trio de ferro” na nova composição de Governo

A- A+

De todas as reformulações administrativas do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para seu segundo mandato, a que mais chama a atenção está no cuidado especial a ser dado às questões que envolvem decisões essencialmente políticas. Se no contexto técnico e funcional o governo também fez seus ajustes, na agenda de intervenções políticas ganha destaque com a transformação da Segov numa super-secretaria.

Ao abarcar outras áreas (como as de Cultura e Cidadania), a Secretaria de Governo e Gestão Estratégica está investida de maior e mais efetivo poder de alcance nas decisões. E com um detalhe sintomático: além de manter Eduardo Riedel em seu comando, o governador embute no contexto os ex-secretários de Administração, Carlos Alberto de Assis, e da Casa Civil, Sérgio de Paula.

Riedel, Assis e de Paula formam o que se pode chamar “trio de ferro” para dar a Azambuja e ao governo um lastro ainda mais afinado e consistente, melhor articulado e, sobretudo, habilitado pelo crédito que ambos conquistaram nas intervenções políticas, de bastidores ou agendas publicas.

Assis chegou a deixar a SAD (Administração) para fazer a campanha de Azambuja, com presença que ajudou a decidir o desempenho do tucano na luta pela reeleição, cuidando de Campo Grande.  De Paula, com 78 municípios diante de si, fez a maratona do interior para garantir a Azambuja os sustentáculos eleitorais de vereadores, prefeitos, vice-prefeitos e lideranças políticas e sociais.

Com a atividade dos dois, Riedel teve o fôlego que precisava para cuidar da política no âmbito da governança, aliviando tensões, distribuindo tarefas, recrutando interlocutores parta ampliar a rede de entendimentos e operando na avaliação dos desempenhos setoriais de cada Pasta e demais compartimentos governamentais.

OS TITULARES – Além de Riedel na Segov, foram mantidos por Azambuja os nomes de Antonio Carlos Videira (Justiça e Segurança Publica), Maria Cecília Amêndola da Mota (Educação), Jaime Verruck (Meio Ambiente, Produção e Agricultura Familiar), Elisa Cléia Nobre (Assistência Social). Chegam para compor o secretariado Geraldo Resende (Saúde), Murilo Zauith (Infraestrutura), Felipe Ribeira (Fazenda) e Roberto Hashioka (Administração e Desburocratização).