26 de novembro de 2020
Campo Grande 34º 23º

DELICADO

Base de apoio do governo acabou, diz grupo de empresários bolsonaristas

As acusações de Moro ao deixar o governo são muito graves, na opinião do presidente do grupo de empresários fundado por Flavio Rocha (Riachuelo)

Gabriel Kanner, presidente do Instituto Brasil 200, grupo de empresários que vinha apoiando as ações de Jair Bolsonaro desde o início do mandato, diz que sentiu uma "decepção absoluta" após a saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça e que o presidente perdeu sua base de apoio.

"Eu me sinto absolutamente traído como eleitor. Acho que todos que acreditaram no discurso do combate à corrupção se sentem traídos", diz Kanner.

As acusações de Moro ao deixar o governo são muito graves, na opinião do presidente do grupo de empresários fundado por Flavio Rocha (Riachuelo) e que reúne nomes como João Appolinário, da Polishop.

"Ele falou que não assinou a desoneração, ou seja, ele ficou sabendo pelo Diário Oficial. Esse 'a pedido' também foi uma mentira pelo que falou. [Bolsonaro] Pedir para ter acesso a relatórios, isso é gravíssimo. Estou incrédulo", diz Kanner.

Para ele, Bolsonaro representava uma esperança de mudar o Brasil e combater a corrupção. "Não é apenas a saída do Moro, que já seria um baque muito grande. Mas as acusações que o Moro fez abalam qualquer confiança que a gente poderia ter no presidente", diz ele.