30 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 24º

POLÊMICA

Bolsonaro de novo defende excludente de ilicitude contra protestos

Segundo ele, seria necessário conter atos terroristas, mas parlamentares temem que seu projeto vise dar aos militares licença para matar

O presidente Jair Bolsonaro, voltou a defender que policiais tenham o chamado excludente de ilicitude em suas operações. Na prática, considerado “uma licença para matar”.

"Quando um governador pede GLO é porque ele não mais consegue manter a ordem com seus meios. A tropa da GLO não é para fazer relações públicas, ela vai para se impor, conter ações terroristas, depredação de bens, queima de ônibus, evitar que inocentes morram, etc", escreveu o presidente no Twitter.

"No mais, para enfrentar a esses marginais, é que se faz necessário o Excludente de Ilicitude. Os integrantes das FFAA, PF, PM, PRF, PFF, PCivil e CBM merecem, em operação, zelar pela própria vida e sua liberdade após o cumprimento da missão", complementou.

VEJA A PUBLICAÇÃO