11 de abril de 2021
Campo Grande 33º 22º

ELEIÇÕES 2020 | COTA ELEITORAL

"Camaleões": 11 candidatos à prefeito em MS trocaram de cor de pele desde 2016

Vereador bastante branco se declarou pardo em Aquidauana e deflagrou suspeita; veja a lista

Leia também

• Depósito de R$ 2 milhões para candidato a vereador abre crise no PSL

Uma suspeita de fraude nesta eleição 2020 levanta casos de candidatos às eleições municipais que declararam mudança na cor da pele, de branco para negros (pardos e pretos, segundo definição do IBGE).  O caso vem à tona em denúncia encaminha à Procuradoria Regional Eleitoral do Espírito Santo e protocolada na 3ª-feira (29.out.2020). Em Mato Grosso do Sul, quem renunciou a cor branca foi o vereador Wezer Alves Rodrigues, ex-secretário municipal de governo do prefeito Odilon Ribeiro (PSDB), de Aquidauana, no interior de Mato Grosso do Sul. E são também, os candidatos a prefeito tucanos os que mais alteraram a cor de branco para pardo, na plataforma da Justiça Eleitoral. 

No dia 22 de outubro de 2020, Wezer declarou ser da cor parda, apesar disso, quando foi candidato em 2016, havia afirmado à justiça que era branco. Procurado pela reportagem para esclarecimento se ele beneficiou-se com a cota à nova cor declarada, sua assessora apenas desligou o telefonema ao ouvir o questionamento. "O candidato se declarou pardo, ele acessou a cota eleitoral?", perguntou o repórter e teve como resposta, apenas a ligação desligada.    

Esse é Wezer Lucarelli

A valorização da cor parda é vista em ambos os casos após a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que determinou a imediata aplicação dos incentivos às candidaturas de pessoas negras, ou seja, cotas do bilionário Fundo Partidário. 

A criação da cota financeira para negros chegou a gerar debate sobre brechas nas regras — incluindo a subjetividade da autodeclaração de cor e raça e eventuais tentativas de burlá-la.

Na natureza, um bicho consegue controlar a movimentação de pigmentos que dão cores às células de sua pele. Esse é o camaleão, que possui a capacidade de imitar a cor do ambiente para se confundir com ele.

A reportagem verificou, primeiramente, entre os candidatos à prefeito nos municípios de MS, quem optou pela troca da identificação de cor em 2020. O levantamento revelou 11 nomes de candidatos à prefeito em Mato Grosso do Sul que antes eram, segundo eles mesmos declararam em 2016, brancos, em 2020 passaram a se identificarem como sendo pardos. São eles:

Dalmy (Dem) – Candidato à reeleição em Alcinópolis (MS).  A reportagem não conseguiu contato com o candidato. 

Esse é Dalmy

Dr. Gabriel (PSD) – Candidato à prefeito em Corumbá (MS) – Atendeu a ligação, mas parecia não estar ouvindo a reportagem. A ligação caiu e depois o telefone do candidato permaneceu desligado.  

DRA Márcia (PSD) – Candidata à prefeita em Camapuã (MS). A reportagem telefonou em contato enviado pelo Diretório Estadual do PSD para falar com Márcia, mas as ligações não foram atendidas.  

Essa é DRA Márcia

Edson Moraes (PSDB) – Candidato à prefeito em Miranda (MS):  

Esse é Edson Moraes

Lucy Palmeira (MDB) – Candidata à prefeita em Anaurilandia (MS). Apesar de antes se ter se declarado branca, a candidata te, fortes traços de pessoa parda/negra. A reportagem não conseguiu contato com a candidata.  

Milane (PSC) – Candidata à prefeita em Bandeirantes (MS); “Acredito que deve ter ocorrido algum erro de digitação...Vou pedir para o advogado verificar”, argumentou a assessoria da candidata. 

Essa é a Milane, seu vice logo atrás

Nabhan (PSD) – Candidato à prefeito em Figueirão (MS). A reportagem telefonou em contato enviado pelo Diretório Estadual do PSD para falar com Nabhan, mas as ligações não foram atendidas.  Apesar de ter se declarado branco em 2016, Nabhan possui traços que lhe conferem, claramente, a cor parda.  

Cipriano Mendes (PT) – Candidato a prefeito em Aquidauana (MS). A reportagem não conseguiu contato com o candidato. Apesar de ter declarado ser branco em 2016, Cipriano também possui traços de cor parda.

Esse é Cipriano a direita da imagem

Nélio Justen (PSD) – Candidato à prefeito em Nova Alvorada do Sul (MS); “Eu jamais, desconheço... Jamais em relação a cota”, disse o candidato. Justen alegou que quem preenche a plataforma é o jurídico da campanha e que iria buscar esclarecimento sobre a situação. Ainda segundo ele: "Não requeri a cota, entrei em contato com advogado, no entendimento dele a maioria da população brasileira é parda. Mas ainda assim, não fiz requerimento da cota", concluiu o candidato. 

Esse é Nélio Justen

Professor Ionedes (REPUBLICANOS) – Candidato à prefeito em Jaraguari (MS). “Naquela eleição digitaram errado. Em 2016 eu estava no PHS e foi o pessoal do partido, eles fizeram minha inscrição... Eu não fui beneficiado com essa cota, até poderia ter pedido, mas não pedi. Eu não fiz nenhum requerimento para acessar essa verba", esclareceu o candidato. 

Esse é o Professor Ionedes

Tico (PATRIOTA) – Candidato à prefeito em Guia Lopes da Laguna. Tem traços de pessoa parda, apesar disso declarou em 2016 que era branco. 

Tico branco

Valdir Júnior (PSDB) – Candidato à prefeito em Nioaque. Valdir não disponibiliza contato em sua rede social. 

Esse é Valdir Júnior

Alexandrino Garcia (PSDB) – Candidato a prefeito e Aral Moreira (MS).  Não disponibiliza contato em sua rede social. 

Esse é Alexandrino Garcia

Dinalvinha Viana (PSDB) – Candidata à prefeita em Rio Verde do Mato Grosso (MS). Não disponibiliza contato em sua rede social. 

No centro da imagem, Dinalvinha Viana

Doreli Portela (PSDB) – Candidato à prefeito em Laguna Carapã (MS). Não disponibiliza contato em sua rede social. 

Esse é Doreli Portela

Tentamos contato com o Diretório Estadual do PSDB para falar com os candidatos. O diretório informou que a pessoa que poderia conseguir intermediar esse contato viajou e que não há no diretório outra pessoas que possa conseguir o contato dos 3 candidatos tucanos da lista. Nas redes sociais e páginas políticas, nenhum dos três candidatos disponibilizam nem contatos próprios, nem contatos de sua assessoria de campanha.

Os candidatos que desejarem fornecer explicações à sociedade sobre o porque mudaram suas identificações de cores, fica aberto o espaço neste veículo de comunicação.