30 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 24º

ATAQUE

Colunista e site de direta ofendem Mandetta e chama de "rato desleal"

Sites de direita e colunista insistem que hidroxicloroquina deve ser utilizada

O site de comunicação de direita, Jornal da Cidade, repercutiu texto misógino da opinião de uma colunista de direita, Thiago Rachid, que atacou nesse manhã (6.abril), por meio de um artigo no seu blog ‘Opinião em Conserva”, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. No texto, Rachid, que é empresário e advogado, diz: “A mosca azul transmitiu o vírus do olho grande, que não é chinês, naturalmente”, relacionou.   

Incumbido de defender Jair Bolsonaro e acusar Mandetta, o colunista ainda disse que Mandetta ‘golpeou Bolsonaro, ao desqualificar o discurso do presidente’. O que, segundo Rachid, é deslealdade.

Além disso, o colunista de direita disse que a política aceita corrupção e assassinatos. E que Mandetta é ‘moleque’, por não beijar os pés de Bolsonaro. “O meio político é sujo: aceita corrupção, mentira e até assassinatos”, disse o colunista.

O advogado colunista afirma ainda que Mandetta finalizará a história como “um rato”, por se opor aos pensamentos de Bolsonaro, no tratamento com uso da hidroxicloroquina. 

A reportagem procurou Mandetta, por meio de sua assessoria, que disse que não sabe se o ministro tem conhecimento do artigo e informou que o foco do ministro é na resistência e na luta contra o vírus. “Querem construir uma narrativa em cima de inverdades. Por exemplo, essa questão da hidroxicloroquina. O ministério preparou, já há mais de três semanas um protocolo rápido com doses certas, prazos, para pacientes em estado grave. E enviou aos estados 3,4 milhões de unidades [da hidroxicloroquina] com a recomendação de que não pode ser usado fora do ambiente hospitalar. O certo e que o Mandetta entrou sem querer no cenário de sucessão presidencial, e isso não aceitam”, explicou o assessor de imprensa do ministro da Saúde. 

Rodrigo Correia do Couto, advogado e professor de direito constitucional e penal em Campo Grande, diz que o colunista pode ser levado à justiça, caso Mandetta venha a ingressar com uma queixa criminal por injúria.