01 de dezembro de 2021
Campo Grande 32º 19º

Insegurança

Com iluminação pública precária moradores fazem apelo a Marquinhos

A- A+

A iluminação pública precária é um dos problemas que tem preocupado os moradores de vários bairros de Campo Grande, que vivem em constante clima de insegurança. Andar à noite nas ruas da Capital, principalmente em locais ermos e mais afastados tem se tornado uma verdadeira prova de fogo.

Moradora das Moreninhas há mais de três décadas, a dona de casa Jucélia dos Santos, 61 anos, reclama do descaso do município com a população e reitera o clima de tensão.

“Aqui nas Moreninhas a gente vive com medo. Eu mesmo fico com receio de sair de casa com alguma coisa de valor, independente se for só pra ir à esquina ou até mesmo conversar com a vizinha. A gente evita sair à noite porque as ruas estão sem iluminação e os bandidos agem livremente. É preciso que alguma coisa seja feita com urgência”, apela.

Para mudar esta situação, o candidato a prefeito de Campo Grande pelo PSD, Marquinhos Trad, tem como meta melhorar a iluminação com a efetiva utilização da Cosip (Contribuição para o Custeio do Serviço de Iluminação Pública), entre outras ações voltadas especificamente para a segurança pública.

A cobrança da taxa está suspensa desde julho deste ano por intervenção da Câmara Municipal sob alegação de que a prefeitura estaria retendo mais de R$ 60 milhões arrecadados somente durante os quatro primeiros meses do ano.

“A prefeitura tem dinheiro em caixa e não aplica. Essa é uma questão que precisa ser mudada. E não é somente trocar as lâmpadas da cidade, temos que investir em equipamentos mais modernos, como os Leds, que tem a durabilidade maior e geram economia. Hoje, a população tem medo de andar nas ruas que estão completamente escuras e isso potencializa as ações dos criminosos, contribuindo para o aumento de assaltos, furtos e afins”, ressalta Marquinhos.

Dados, divulgados recentemente pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), revelam que Campo Grande registrou, de janeiro até agosto, cerca de 5 mil roubos, um aumento de 16% em relação ao mesmo período do ano passado.

“Temos que agir para mudar toda essa situação. Não é possível que as pessoas convivam com medo. Infelizmente, existe a ausência do Governo do Estado e neste ponto o município tem que ser enérgico e adotar medidas para reduzir essa triste realidade”, analisa o candidato do PSD a prefeito.

No seu plano de governo, Marquinhos aponta medidas para atacar o problema, como a reestruturação da Guarda Municipal, através da criação da Polícia Metropolitana de Campo Grande.

 “O que estamos vendo é um desmanche da nossa Guarda Municipal. Dezenas de agentes deixam a corporação todo mês por falta de valorização. Hoje, eles chegam a ganhar menos de um salário mínimo e não tem como manter estes profissionais motivados. O nosso objetivo é valorizá-los a fim de otimizar o trabalho destes profissionais em prol da população”, comenta.

Marquinhos avalia que o contato direto com as lideranças comunitárias é importante para planejar ações na segurança pública. O candidato quer criar o Conselho Municipal de Segurança Pública para atuar de forma conjunta com a Sejusp.

Outro ponto destacado é quanto ao uso da tecnologia para auxiliar nestas ações, por meio do mapeamento e controle da violência, além da ampliação do sistema de vídeo monitoramento.