19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

60 páginas

Conselho de Ética recebe defesa de Cunha e Câmara tem 40 dias para ouvir testemunhas

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), apresentou, no início da noite desta segunda-feira (21), no Conselho de Ética da Casa, sua defesa contra as acusações de quebra de decoro parlamentar. Cunha é réu na Lava Jato por desvio de dinheiro público oriundo de propina. O deputado mantém pelo menos US$ 5 milhões em contas na Suíça.

Com mais de 60 páginas e cinco anexos contendo notas taquigráficas e documentos, a defesa do deputado foi protocolada no conselho pelo advogado Marcelo Nobre, que defende o parlamentar no processo. A partir desta terça-feira (22) começa a valer o prazo de 40 dias úteis para a instrução probatória, período em que o Conselho de Ética vai ouvir as testemunhas de defesa de Cunha e as indicadas pelo relator do processo, Marcos Rogério (PDT-RO).

Eduardo Cunha responde a processo de quebra de decoro e pode ser cassado devido à acusação de ter mentido à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, em março do 2015, quando disse que não tinha contas no exterior. 

A representação contra Cunha foi apresentada pelo PSOL e pela Rede. Depois de muitas manobras atribuídas à defesa do parlamentar, o Conselho de Ética aprovou por 11 votos a 10, o parecer preliminar pela abertura do processo de investigação, no dia 2 de março.