21 de abril de 2021
Campo Grande 32º 18º

"AMIGOS DA ALMS"

Contra ordem de juiz, deputados livram Jamilson Name de tornozeleira

Name é acusado de chefiar organização criminosa armada ao lado do pai, Jamil Name, e do irmão, Jamil Name Filho, ele também virou réu por usar a Pantanal Cap

A- A+

Contrariando a ordem do juiz Roberto Ferreira Filho, da 1ª Vara Criminal de Campo Grande, emitida na 6ª-feira (29.jan), o deputado estadual Jamilson Name (sem partido) foi livrado nessa manhã, 4ª-feira (3.fev) por colegas da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, que por 18 votos a 2, deram negativa à duas medidas cautelares determinada pela Justiça: recolhimento noturno e monitoramento eletrônico, de Jamil Name.

O magistrado acatou pedido do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que citou o caso da deputada federal Flordeliz, acusada de matar o marido e que passou a usar o adereço sem aval da Câmara dos Deputados.

Name é acusado de chefiar organização criminosa armada ao lado do pai, Jamil Name, e do irmão, Jamil Name Filho, ele também virou réu por usar a Pantanal Cap para lavar dinheiro do jogo do bicho. A decisão do parlamento, tomada na manhã desta quarta-feira (3), deverá criar impasse entre os poderes Judiciário e Legislativo.

Inicialmente, o juiz Roberto Ferreira Filho, havia determinado a consulta da Assembleia sobre as duas medidas cautelares, mas logo depois decidiu pela colocação de tornozeleira eletrônica no deputado 'imediatamente', independente de decisão da Assembleia.

Deputado Jamilson Name Deputado Jamilson Name. Foto: Reprodução 

Dos que votaram na Casa de Leis de MS, ocorrem duas abstenções, o legislativo concluiu que a tornozeleira eletrônica e o recolhimento noturno atrapalham o mandato de parlamentar e devem ser suspensos. Apenas os deputados estaduais Capitão Contar (PSL) e João Henrique (PL) votaram com o Juiz.

VOTARAM CONTRA MONITORAMENTO ELETRÔNICO DO DEPUTADO

Antônio Vaz (Republicanos)

Barbosinha (DEM)

Cabo Almi (PT)

Eduardo Rocha (MDB)

Evander Vendramini (PP)

Felipe Orro (PSDB)

Gerson Claro (PP)

Herculano Borges (SD)

Lídio Lopes (Patri)

Londres Machado (PSD)

Lucas de Lima (SD)

Mara Caseiro (PSDB)

Márcio Fernandes (MDB)

Neno Razuk (PTB)

Pedro Kemp (PT)

Marçal Filho (PSDB)

Professor Rinaldo (PSDB)

Zé Teixeira (DEM)

VOTARAM A FAVOR DAS MEDIDAS CAUTELARES

Capitão Contar (PSL)

João Henrique (PL)

DEPUTADOS SE ABSTIVERAM DE VOTAR

Coronel David (sem partido)

Renato Câmara (MDB)