30 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 24º

Deputada critica ação da PF em ocupações em Japorã

A deputada estadual Mara Caseiro (PT do B) criticou hoje a ação da PF (Polícia Federal) nas ocupações indígenas na região de Japorã – 477 km de Campo Grande. “A situação está insustentável. É um absurdo o que está acontecendo na região Sul. Aquelas áreas foram tituladas pela União. A PF e os órgãos federais estão tratando a situação de forma inversa, protegendo os invasores”, declarou.

Para a parlamentar, as denúncias de que os índios estariam comendo carne de cachorro, pois estão passando fome são farsas. “Eles não estão comendo carne de cachorro. Eles comem carne de boi, roubadas do rebanho daqueles produtores. Há muitas mentiras nessa questão das demarcações”, acusou.

Mara Caseiro ainda compara os índios aos não-índios e afirma que, usando a lógica atual, todas as terras do país devem ser consideradas indígenas. Além disso, ela destaca que a solução está nas mãos da presidente Dilma Rousseff (PT) e a União precisar tomar atitudes urgentemente.

“Índios não vivem em outro país. Assim como nós não podemos invadir as reservas, eles não podem invadir as fazendas. Infelizmente ouvi de alguns produtores que dizem ‘eu vou sair apenas se estiver morto e se for preciso eu mato’. Esse cenário de insegurança jurídica é lamentável. É uma guerra onde organizações internacionais estão dentro das aldeias pregando o ódio”, defendeu.

As ocupações – As áreas ocupadas pelos índios da etnia Guarani-Kaiowá na região de Japorã foram consideradas indígenas em 2005 pela Funai (Fundação Nacional do Índio) e destina-se a ampliação da reserva  de Porto Lindo. Como o projeto está parado desde então, produtores rurais e índios reivindicam seus direitos sobre a terra.

Diana Christie