22 de abril de 2021
Campo Grande 29º 18º

40 pré-candidatos

Filiações fortalecem PHS e consolidam nova força política em MS

A- A+

O Partido Humanista da Solidariedade (PHS) confirma em Mato Grosso do Sul a expectativa de crescimento quantitativo e qualitativo manifestada por seus dirigentes quando visitaram Campo Grande, em outubro do ano passado. Naquela ocasião, o presidente da Executiva Nacional, Eduardo Machado, e o secretário-geral, Luiz França, destacaram que o trabalho realizado pela direção regional tem sintonia com a atuação partidária em todos os estados e isso refletiria no crescimento orgânico da legenda.

Agora, a previsão se confirma com o volume de adesões que o PHS vem registrando em diversos municípios sulmatogrossenses. Esta semana, em Campo Grande, mais um expressivo grupo de representantes da comunidade assinou a ficha do partido, que já tem disponíveis 40 nomes na relação de pré-candidaturas. O ato contou com a presença do presidente da Executiva Estadual, Emídio Milas de Oliveira, e foi prestigiado pelo deputado estadual Felipe Orro (PSDB).

Os novos filiados representam vários segmentos da sociedade, entre os quais o empresário e membro da colônia japonesa Wagner Hideo Takamori; o vendedor e ativista comunitário Ary Coelho de Oliveira (neto do ex-prefeito Ary Coelho), o desenhista Enéas de Lara Almada, o professor Waldemar Ribeiro Acosta, o assistente social Eduardo Lopes Miranda, o professor Valfrido Leite Rolim e a estudante Wanessa Paiva Zebalhos.

Gestão produtiva 

O presidente da Executiva Regional, Emídio Milas, saudou os novos filiados e disse que a expansão política do PHS é fruto da gestão produtiva e programática que a executiva Nacional vem imprimindo. “Cada diretório do partido, seja estadual ou municipal, tem em todo o País um parâmetro de atuação baseada em regulamentos conceituais, orgânicos e estatutários sintonizados com o pensamento de transformações da sociedade brasileira”, destacou.

Ele enfatizou ainda que o PHS oferece a seus militantes todo o espaço desejado para que cada um cumpra seu papel, fornecendo, além do apoio política da direção, algumas ferramentas indispensáveis, como os cursos e treinamentos do IPHS (Instituto de Pesquisas Humanistas e Solidaristas). “O diferencial de nossos filiados é que eles não constituem apenas um volume numérico nos registros eleitorais e orgânicos. Os nossos filiados são agentes transformadores, se reconhecem na identificação com o nosso programa e os nossos estatutos”, salientou, ao realçar o cuidado com que a direção nacional trata da qualificação do crescimento do PHS.

“Estamos fazendo a nossa parte na afirmação de uma das propostas mais atualizadas e renovadoras que uma força partidária pode oferecer ao Brasil. Para isso, insisto que o nosso fortalecimento precisa ser alimentado por princípios programáticos, que são qualitativos e dão consistência e durabilidade. É com esse alicerce que vamos debater nossa participação no processo político e nas disputas eleitorais!”, concluiu.