20 de julho de 2024
Campo Grande 20ºC

EXTREMISTAS DE DIREITA

Fotos da minuta golpista achada na casa de Anderson Torres

O texto da minuta foi encontrado pela PF na casa do ex-ministro da Justiça bolsonarista

A- A+

A Polícia Federal usará o documento encontrado na casa do ex-ministro da Justiça Anderson Torres como prova. O texto da minuta de decreto para assinatura do ex-presidente Jair Bolsonaro previa a instauração de Estado de Defesa no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Veja em fotos: 

O documento estava no armário do ex-ministro e foi encontrado durante busca e apreensão realizada pela PF na 3ª feira (10.jan).O documento estava no armário do ex-ministro e foi encontrado durante busca e apreensão realizada pela PF na 3ª feira (10.jan).
A PF vai apurar em que circunstâncias a minuta foi elaborada.A PF vai apurar em que circunstâncias a minuta foi elaborada.
A medida golpista visava alterar o resultado das eleições que deram vitória ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.A medida golpista visava alterar o resultado das eleições que deram vitória ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Mostramos mais cedo aqui no MS Notícias, que Anderson Torres, por meio das redes sociais, disse que guardava o documento descartá-lo.

A OPOSIÇÃO 

Após a descoberta do documento a presidente do PT, partido de Lula, declarou: “Está cada vez mais claro que o plano de Bolsonaro sempre foi dar um golpe de Estado, com apoio da sua gangue e dos seus terroristas nas ruas. Isso tem de ser apurado com todas as consequências”, denunciou a presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores, deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR).

O senador Humberto Costa (PT-PE) também reagiu à nova denúncia que comprova nova tentativa criminosa de Bolsonaro contra o resultado das urnas. “A PF encontrou no armário do ex-ministro de Bolsonaro, Anderson Tôrres, um documento inconstitucional que tinha como objetivo mudar o resultado da eleição e instalar um golpe”.

Já o deputado Zeca Dirceu (PT-PR), futuro líder do partido na Câmara Federal, classificou o decreto como “ato preparatório para o golpe”. Para o deputado, o decreto é “mais uma prova do quanto os dois são criminosos. Não podemos jamais naturalizar ameaças e ataques à democracia”, alertou.

O ex-ministro da Justiça de Bolsonaro, Anderson Torres, e ex-secretário de Segurança do Distrito Federal (já demitido), está com prisão decretada pelo ministro do STF, Alexandre de Moraes, em razão de sua atuação nos eventos que culminaram nos atos terroristas do último domingo, em Brasília.

O ex-ministro está nos Estados Unidos e nega envolvimento ou complacência com os atos terroristas. Ele disse no Twitter que vai retornar ao Brasil e se apresentar à Justiça. Ele está com voo confirmado para retornar nesta 6ª feira (13.jan).