04 de agosto de 2021
Campo Grande 28º 14º

Câmara reprova requerimento sobre esclarecimentos na área da saúde

A- A+

A vereadora Luiza Ribeiro (PPS) teve dois requerimentos de informação vetados na sessão legislativa da manhã de hoje. O primeiro deles pedia detalhes das sindicâncias criadas em 2013 e 2014 pelo ex-secretário municipal de saúde, Ivandro Fonseca, que foram arquivadas.

O segundo cobrava do executivo documentos a comprovação de que os funcionários de primeiro e segundo escalão nomeados pelo prefeito Gilmar Olarte (PP) estão adequados à lei da ficha limpa.

Na primeira votação, Luiza teve seu requerimento rejeitado com 17 votos contrários e sete favoráveis. Ela pediu informações detalhadas sobre as sindicâncias que foram extintas pelo atual secretário de saúde, Jamal Salém, incluindo os pareceres finais e a tramitação das investigações que continuaram.

Luiza afirma que o pedido não se trata de perseguição ao prefeito Gilmar Olarte e estranha a postura da maioria dos vereadores que, de acordo com ela, sempre apoiaram a investigação de todos os atos do ex-prefeito cassado, Alcides Bernal (PP). “O requerimento sempre foi bem visto nesta Casa de Leis, não entendo o que mudou”.

Durante a sua declaração de voto, o vereador Paulo Pedra (PDT) pontuou que as informações poderiam até comprovar o argumento levantado por alguns colegas de que Ivandro perseguia alguns médicos através de sindicâncias. Votaram a favor do requerimento os vereadores Zeca do PT, Ayrton Araújo (PT), Thaís Helena (PT), Paulo Siufi (PMDB), Eduardo Romero (PT do B), Luiza Ribeiro e Paulo Pedra.

O segundo requerimento apresentado pela vereadora foi vetado por 17 votos contrários e seis favoráveis, sendo a favor do pedido a bancada petista e os vereadores Paulo Pedra, Eduardo Romero e a própria Luiza. A base aliada votou unida contra o requerimento atendendo a um pedido do líder do prefeito, João Rocha (PSDB), que considerou a investigação desnecessária já que, segundo o prefeito, os dados devem ser disponibilizados obrigatoriamente no portal da transparência da prefeitura.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Mario Cesar (PMDB), justificou que muitos requerimentos eram aprovados na gestão de Alcides Bernal porque não havia comunicação entre os poderes.

Diana Christie