04 de julho de 2022
Campo Grande 31º 23º

ELEIÇÕES 2022 | MS

Marquinhos aponta problemas estruturais e necessidade de investimentos em Bonito

O pré-candidato ouviu reclamações sobre as dificuldades na área da saúde, onde hoje, 774 pessoas aguardam na fila por um exame

A- A+

O pré-candidato do PSD ao Governo de Mato Grosso do Sul, Marquinhos Trad, defendeu investimentos básicos para solução de problemas estruturais no Município de Bonito. Em conversa com a população, Marquinhos ouviu relatos de problemas na saúde, habitação e preocupação com a preservação da região que atrai milhares de turistas para o Estado durante todo o ano.

“Ouvimos representantes do turismo, agronegócio, comércio, educadores, profissionais da saúde. Nesta caminhada, observamos o quanto as características de cada município são completamente diferentes, mas que, por outro lado, os problemas se repetem”, declarou Marquinhos.

O pré-candidato ouviu reclamações sobre as dificuldades na área da saúde, onde hoje, 774 pessoas aguardam na fila por um exame ou consulta com especialista em Campo Grande, e falta de projetos para moradia popular.

 “Entra governo, sai governo e as pessoas continuam precisando ir para Capital em busca de atendimento. Aqui em Bonito, toda semana, 20 pessoas enfrentam essa maratona para fazer hemodiálise em Campo Grande. A regionalização que não sai do papel e que traz sofrimento todos os dias, especialmente para as pessoas mais humildes. Mais de 700 pessoas esperando vaga para um procedimento em Campo Grande. Outras 900 a espera de uma moradia. É preciso definir prioridades e apresentar projetos para que estes problemas de muitos anos sejam resolvidos”, pontuou

A falta de emprego também foi citada por pais que, cedo, veem os filhos irem para grandes centros em busca de estudo e oportunidade.  Na área ambiental, Marquinhos discutiu solução para um problema grave, que se não resolvido, pode afetar o turismo e, consequentemente, a economia do Município.

“Há uma colisão de pensamento do setor de meio ambiente com o agronegócio, que pode afetar o turismo em Bonito. Alguns apontam que o agro tem crescido e prejudicado nascentes, curvas e até mesmo poluindo aquilo que o munícipio tem de mais bonito e atrativo, que são seus rios.  Esta colisão já deveria ter sido resolvida e o governo se omite. Precisa chamar o Ministério Público, as partes, com responsabilidade e encerrar este assunto antes de chegar a uma proporção que possa atingir até o turismo”, detalhou.

Marquinhos ouviu pedidos de efetivação de projetos importantes principalmente para o turismo da região, como a pavimentação do acesso aos principais balneários de Bonito, a chamada Rodovia do Turismo, e conclusão da prometida obra do rodoanel, para desviar o tráfego pesado no centro urbano.

“Sou pré-candidato para atender a população, levar uma vida mais digna, com mais qualidade de vida, construindo mais casas, assegurando uma saúde pública de qualidade, criando projetos para geração de emprego, buscar cada vez mais uma política que amplie o lado social. Não é possível em um Estado tão rico, onde o PIB tem aumentado, ainda ter que conviver com 21% da nossa população em estado de miserabilidade, vivendo com menos de meio salário mínimo, quase 600 mil pessoas nesta situação”, concluiu.