20 de abril de 2021
Campo Grande 31º 19º

Professores

Marquinhos assegura transparência e garantia de direitos em debate

Candidato do PSD à Prefeitura de Campo Grande, Marquinhos Trad participou, nesta terça-feira (13), de debate promovido pelo Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública. Ele apresentou propostas e respondeu a perguntas de professores de escolas de Campo Grande.

Os alunos e professores das escolas Irmã Edith Coelho Neto e Nazira Anache indagaram se Marquinhos fará decreto de suspensão de pagamento das promoções para contenção de gastos e qual será o critério de pagamento dos direitos adquiridos e não pagos pela atual gestão.

Antes de responder, Marquinhos fez questão de pontuar que o educador é o guardião do País e detentor das chaves que transformam um cidadão e uma nação. Em seguida, garantiu a manutenção dos direitos e transparência.

“Direito adquirido não pode ser retirado. As promoções vertical, horizontal e os adicionais serão pagas na nossa gestão. Até porque, a promoção vertical é dada ao esforço da formação contínua e do preparo. A formação horizontal com os adicionais é lei pelo tempo de serviço prestado e pela produtividade e eficiência. Na nossa gestão, não haverá decreto de suspensão. Haverá transparência e direito adquirido. Não tem critérios. Tem que pagar as promoções. Assim que iremos nos comportar”, afirmou.

Seguindo o roteiro do debate, Marquinhos foi convidado a fazer um pergunta a outro candidato e lembrou da insegurança na cidade, com aumento de 139% dos casos de roubo, se comparado 2016 com 2013, por exemplo. Diante deste quadro alarmante, perguntou as providências para evitar que esta violência chegue às escolas.

Marquinhos ressaltou que escola é lugar de segurança e não de insegurança e apresentou propostas para proteger alunos e professores. “Vamos instalar câmeras nos arredores das escolas, onde há um alto índice de furtos e roubos. Vamos instituir a Guarda Escola, que ficará presente na entrada e saída dos alunos e educadores. Vamos reforçar a iluminação pública. Todos precisam sentir segurança. Se o Estado não fez, eu vou fazer”, garantiu.

Marquinhos também foi questionado sobre a baixa pontuação de Campo Grande no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) e apontou como saída o investimento no profissional da educação.

 “Vamos melhorar promovendo a formação continuada dos professores e administrativos, incentivando a extensão e pós-graduação. Devolvendo a autoestima e saúde para os educadores. Preparando os professores com ambientes virtuais de aprendizagem, novos aplicativos e plataformas web. Ampliar e interligar as bibliotecas online para disponibilização dos livros. Modernizar os laboratórios com inclusão digital e acesso a internet. Equipar os Ceinfs e Escolas, reformando e ampliando as estruturas”, detalhou. “Estou me preocupando com a parte humana. Não é possível mais tantas licenças, depressão. Vamos disponibilizar autoestima para que vocês tenham vontade de ir para as salas de aula”, complementou.

Marquinhos também respondeu a questionamento da professora Vilma Corrêa de Oliveira, que solicitou a apresentação de propostas concretas para melhorar a qualidade de vida do campo-grandense e dos profissionais de educação.

 “Ouvimos os dois lados: os usuários, representados pela Associação dos Pais e Mestres e educadores, com professores e o corpo administrativo. Os usuários reclamam da falta de merenda de qualidade. Não foram entregues materiais, kits e uniformes em tempo previsto e prometido. Os Ceifns (Centros de Educação Infantil) estão inacabados. E do lado dos educadores, eles reclamam que não foi cumprido o piso, que querem eleição direta no IMPCG e ServiMed e solicitam a descentralização da merenda. Se formos eleitos, vamos concluir e reformar Ceinfs e escolas, equipar com brinquedos e materiais pedagógicos os Ceinfs e escolas, diminuir o déficit por vagas e valorizar os professores. Sem mentiras e enrolação. Olhando nos olhos das pessoas”, respondeu.

Marquinhos encerrou o debate assegurando que, se eleito, fará uma gestão voltada para Educação com prioridade e metas para que Campo Grande retorne às primeiras colocações no IdeB, oferecendo uma escola pública de excelência e qualidade.

“Para isso, vamos garantir o piso de 20 horas, com responsabilidade fiscal; renegociar com a categoria os atrasados; implantar eleição direta para diretor e adjunto, conforme a meta 19 do Plano Nacional de Educação. Sem decreto para retirar direitos adquiridos e sem inventar critérios para pagar as promoções. Instituir processo eletivo no Servimed e IMPCG; dar formação continuada dos professores e administrativos. Nós vamos olhar com igualdade, sabendo reconhecer as diferenças”, finalizou.