15 de junho de 2021
Campo Grande 28º 15º

Marquinhos é um bom nome, mas PMDB mina sua candidatura

Apesar de insatisfaçao de Trad com relação ao partido, a sigla considera seu nome fortíssimo para concorrer ao executivo municipal em 2016, mas não torna isso viável

A- A+

Na manhã de ontem os peemedebistas se reuniram para falar sobre a situação do partido em nível de Estado e na Capital, referente às eleições de 2016. Para a maioria dos deputados estaduais o melhor nome do PMDB para concorrer à prefeitura da Capital hoje é de Marquinhos Trad.

Os parlamentares Antonieta Amorim e Junior Mochi defenderam que se deve buscar um nome que irá unir a sigla, ao contrário de Maurício Picarelli que negou qualquer tipo de intriga entre os membros, o que existe, de acordo com ele é uma “diferença de opiniões”.

Júnior Mochi garantiu que o partido trabalha com aqueles que se colocam à disposição para enfrentar o pleito, ao contrário do ex-governador André Puccinelli e do senador Waldemir Moka. “Eles (Puccinelli e Moka) já disseram que não querem, então esses nós já desconsideramos, e trabalhamos com os que quiserem, e aqueles que querem, que se manifestem”.

A união do PMDB é uma questão que preocupa os membros, e ter alguém que retome os laços peemedebistas não deve ser desconsiderada. “Qualquer  membro, filiado, que tiver domicílio em Campo Grande e que se colocarem à disposição, e tiver requisitos, tem potencial”. Antonieta já disse que, caso a sigla desejar, deixa seu nome para, quem sabe, ser escolhido.

Referente a Marquinhos Trad, Mochi disse ser um nome forte, e que o partido não pode abrir mão de nomes fortes. “Vamos pedir se o Marquinhos tem interesse, se ele tiver, tudo bem”.  O objetivo é que até julho, seja encaminhado o nome que irá disputar a eleição na Capital.

O ex-governador será um dos responsáveis por trazer nomes fortes para que o partido chegue a uma decisão, e já considerou Trad um bom nome. Ao ser questionado sobre seu nome ser preferencial na lista dos peemedebistas, Marquinhos rebate: “Qual lista? A lista negra? A forma de condução de André Puccinelli, oprime, comprime, reprime e deprime”, e acrescentou ainda que está estudando “com carinho” a sua possível ida ao PSD.