24 de outubro de 2021
Campo Grande 26º 23º

CLIMA POLÍTICO

Moro cede a pressão e Eduardo Bolsonaro comemora

Ministro d justiça acabou exonerando pesquisadora importantante ao cargo

A- A+

Após a saída de Ilona Szabó, que havia sido nomeada pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, o filho do presidente da República, Eduardo Bolsonaro, usou as redes sociais para comemorar a exoneração da cientista política. Fazendo o uso da hashtag  #GrandeDia, o deputado federal também citou a saída do desarmamentista Renato Sérgio de Lima, que decidiu se desligar do cargo após Moro ceder a pressão e excluir Szabó do Conselho Nacional de Política Criminal. 

"Após exonaração de Ilana Szabó outro que era contra o projeto anti-crime de Moro pede para sair. O desarmamentista Renato Sérgio de Lima, do Conselho Nacional de Segurança Pública e Defesa Social, dispensou-se em solidariedade a Szabó", tuitou Eduardo Bolsonaro em sua conta do twitter.

No documento em que formaliza sua exoneração, Lima critica a decisão de Moro de revogar a nomeação de Ilona, que é fundadora do Instituto Igarapé, que se dedica a estudar e elaborar propostas de políticas públicas para a redução da violência. Segundo ele, a pesquisadora "foi colocada em uma situação constrangedora".

Desde que foi anunciada, na quarta-feira, a indicação de Ilona passou a ser criticada por apoiadores de Bolsonaro na internet. O assunto se tornou um dos mais discutidos no Twitter através da hashtag #IlonaNão. As mensagens, em geral, continham tons de decepção com o ministro da Justiça e pedidos de revisão da nomeação. Com o aumento das críticas, o presidente Bolsonaro telefonou para Moro, consumando o entendimento de que a escolha de Ilona deveria ser revista.

Em nota, Moro pediu desculpas à especialista pela decisão. “Diante da repercussão negativa em alguns segmentos, optou-se por revogar a nomeação”.

Foto