27 de maio de 2024
Campo Grande 13ºC

ELEIÇÕES 2022

Nova pesquisa: Lula chega a 53% dos votos em eventual 2º turno

Com quadro reduzido de pré-candidatos Lula chega a 42% no 1º turno

A- A+

A pesquisa BTG/FSB desta 2ª-feira (11.jul.22) mostra Lula (PT) com 42% das intenções de votos no 1º turno estimulado das eleições de 2022. No cenário reduzido (menor número de nomes), em 2º lugar está Jair Bolsonaro (PL), com 32% dos votos. A íntegra

Em terceiro lugar vem Ciro Gomes (PDT), com 9% das intenções de votos, seguido por Simone Tebet (MDB) com 4% e André Janones (Avante) com 3%.

A BTG também fez um cenário-amplo (com mais nomes) na estimulada. Nesse, Lula lidera com 41% dos votos: 

  • Jair Bolsonaro continua com os mesmos 32%;
  • Ciro Gomes – 9%;
  • Simone Tebet – 4%;
  • André Janones – 3%;
  • Felipe D’Ávila – 1%;
  • Vera Lúcia – 1%;
  • Pablo Marçal – 1%; Eymael – 0%;
  • Sofia Manzano – 0%;
  • Luciano Bivar – 0%;
  • Leonardo Péricles – 0%;
  • Nenhum – 4% Branco/Nulo – 2%;
  • Não sei/Não respondeu – 2%.

74% dos brasileiros já estão certos dos seus votos e não devem mudar. 25% ainda podem mudar até o dia 3 de outubro.  

2º TURNO

Já em um eventual 2º turno, Lula aparece à frente com 53% contra 37% de Bolsonaro.

CUSTOS E METODOLOGIA

A pesquisa custou R$ 128.957,83 contratada e paga pela CPF/CNPJ: 30306294000145 - Banco BTG Pactual S.A. A íntegra dos custos

De acordo com a BTG, a pesquisa quantitativa foi realizada por telefone (via CATI), entre os dias 8 e 10 de julho de 2022. Foram entrevistados 2.000 eleitores. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%.

Para definição da amostra, o Instituto FSB disse que controlou as seguintes cotas: (a) sexo, (b) idade, (c) escolaridade, (d) tipo de telefonia e (e) DDD.

Devido ao arredondamento, a soma dos percentuais pode variar de 99% a 101%.

O Estatístico responsável é Neale El-Dash, Conre 8656-A.

A pesquisa está sob o registro BR-09292/2022 no TSE. 

A Direção é de Marcelo Tokarski, sócio-diretor do Instituto FSB Pesquisa, e André Jácomo, diretor do Instituto FSB Pesquisa