12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Política

Projeto retira competência normativa do Conanda e o transforma em órgão consultivo

A- A+
Michel Jesus/ Câmara dos Deputados
 Deputada Chris Tonietto (PSL-RJ)
Para Chris Tonietto, atualmente há o risco de o interesse coletivo não prevalecer

O Projeto de Lei 168/21 afasta a competência normativa do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) e torna-o uma instância consultiva. Criado pela Lei 8.242/91, o Conanda é vinculado à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, com competência de elaborar as normas gerais da política nacional de atendimento dos direitos da criança e do adolescente e de fiscalizar as ações de execução da política. O órgão é composto por integrantes do governo e da sociedade civil.

Autora do projeto, a deputada Chris Tonietto (PSL-RJ) afirma que, como "o órgão é composto por representantes de setores da sociedade interessados no andamento das políticas de direitos da criança e do adolescente, é latente a possibilidade de que interesses que ultrapassam a esfera coletiva e se estendem ao âmbito individual e privado possam ser exercidos sob os mais diversos tipos de aspirações".

Pela proposta da deputada, o Conanda exercerá papel consultivo a respeito de normas gerais da política nacional de atendimento dos direitos da criança e do adolescente, fiscalizando as ações de execução, sendo vedado ao órgão exercer, de qualquer forma, competência normativa.

Ela acredita que a medida possibilitará "um melhor alinhamento estratégico e político com o governo federal no que diz respeito à execução das políticas públicas referentes à criança e ao adolescente".

Tramitação
A proposta será analisada, em caráter conclusivo, pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem - Lara Haje
Edição - Marcia Becker