26 de setembro de 2020
Campo Grande 37º 24º

Puccinelli desiste do Senado para concluir projetos do governo

O governador André Puccinelli (PMDB) negou que sua desistência de concorrer a uma vaga no Senado tenha sido por receio de enfrentar o possível candidato do PSDB, Reinaldo Azambuja. Em resposta às diversas publicações em redes sociais sobre o assunto, Puccinelli se limitou apenas a responder que as pesquisas apontam para a vitória dele ao Senado com grande vantagem sobre o tucano. "Fiz cinco pesquisas em todos os municípios e o Azambuja tem 0,01% de chance de ganhar se disputasse comigo. Decidi há muito tempo ficar no governo porque sei do meu compromisso com a população do Estado e não poderia colocar um interesse político individual à frente do interesse coletivo de todo povo de Mato Grosso do Sul". Puccinelli aproveitou o momento para confirmar o nome da vice-governadora Simone Tebet (PMDB) como pré-candidata do partido ao Senado. "Votem nela, faço um pedido, um apelo, votem na menina que ela é boa", dizia André. Em relação aos ataques políticos dos adversários, André respondeu que o feitiço pode virar conta o feiticeiro. "Não me importa a opinião dos adversários nem vejo essas publicações para não passar raiva, o que me importa é a opinião do povo, que por sinal, podem rejeitar os adversários que estão fazendo isso por se doerem pelo André, que é o que eu imagino que possa acontecer." Depois de explicar os motivos pelos quais decidiu permanecer no governo, Puccinelli anunciou que pretende criar um instituto em Campo Grande voltado para fomento da educação especializada no Estado e qualificando crianças por meio de convênios com instituições de outros estados e outros países. "Quero que as crianças de Mato Grosso do Sul sejam as sementes para ajudar o desenvolvimento do Brasil." Heloísa Lazarini