15 de agosto de 2020
Campo Grande 35º 22º

Puccinelli destaca contradições de aliança entre PT e PSDB e fala em traição

Diana Christie

O governador do Estado André Puccinelli (PMDB) afirmou nesta manhã que a aliança entre o pré-candidato ao governo estadual Delcídio do Amaral (PT) e o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) entra em contradição com o histórico de desavenças que os dois partidos possuem. “Vamos rememorar o que o Zeca (ex-governador do PT) falava dos tucanos, o que o Delcídio falava dos tucanos, o que o Reinaldo falava do Zeca, o que o Reinaldo falava do Delcídio e o que os três juntos falavam do (Alcides) Bernal”, declarou.

Puccinelli também criticou a postura dos adversários do PT e do PSDB quanto ao prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP). Segundo ele, Delcídio e Reinaldo protegeram o “coitadinho” durante a campanha das últimas eleições, mas têm deixado seu governo agora que ele corre o risco de ser cassado já que foi instaurada uma comissão processante para investigar possíveis improbidades administrativas de sua administração. “Como dizia o Nelson Trad, o Nelsão, a população adora traição, mas não perdoa o traidor”, disse.

Aliados – O governador destacou ainda que o PDT já deixou o seu governo, mas se arrependeu e voltou. “Melhor comigo, pior sem migo”, brincou. Além disso, ele fez questão de frisar que “política não é guerra e não é o fim do mundo”, que as autoridades eleitas precisam dialogar com os adversários e que todos estão passíveis de erros que podem ser retificados.

As declarações foram feitas durante a inauguração do Centro Estadual de Línguas “Professor Fernando Peralta”, localizado na Avenida Tiradentes, nº 20, Bairro Amambaí.