23 de junho de 2021
Campo Grande 30º 17º

Repressão da PM aumenta isolamento de Beto Richa

A- A+

A polêmica repressão policial contra professores da rede estadual na última quarta-feira 29 em Curitiba aumentou o isolamento do governador Beto Richa (PSDB), piorando sua relação com a base na Assembleia Legislativa.

Para alguns deputados, o tucano está "isolado" e "encastelado". "Desgaste é pouco. Isso é um horror", avaliou o líder do governo na Assembleia, Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), segundo reportagem da Folha de S. Paulo deste sábado 2.

A avaliação da cúpula tucana é a de que ele não soube lidar com as manifestações. Após a ação policial que deixou mais de 200 feridos, muitos com tiros de borracha no rosto, Richa defendeu os policiais e atribuiu a violência à infiltração de "baderneiros".

"Ele está encastelado, mal aconselhado, e não consegue enxergar que quem protesta também foi seu eleitor". Está é a opinião de um de seus aliados, segundo a Folha.

"Os deputados não são exigentes. Muitos têm conversado comigo, eles pedem apenas melhor aproximação com o governo", disse o deputado federal Valdir Rossoni (PSDB-PR), que contou já ter conversado com Richa sobre as reclamações da base.

A visão de alguns parlamentares é a de que, para Richa, a Assembleia Legislativa é um quintal do Palácio Iguaçu. Em outras palavras: se o Executivo manda uma proposta, a base aliada tem que aprovar.