15 de agosto de 2020
Campo Grande 35º 22º

Tanto apoio pode atrapalhar Delcídio nas costuras microrregionais

Edson Moraes De “senador de todos” a “pré-candidato de todos” ao Governo, Delcídio Amaral começa a viver o paradoxo de seu apelo de marketing político-eleitoral. Tido como o grande favorito à próxima sucessão estadual, vê-se no centro de uma preferência tão ampla que o acúmulo de pré-adesões ao seu projeto começa a criar situações – quando menos – incômodas, para não dizer embaraçosas. Delcídio precisará aquietar ondas revoltas que se agitam nos limites das águas plurais por onde pretende navegar com seus apoiadores, sem discriminar uns, nem privilegiar outros. Como não se sabe, mas o pré-candidato tem exata dimensão da complexidade que será conciliar tantos interesses microrregionais que estarão em choque e todos em seu palanque. É que entre seus antigos, atuais e futuros aliados existem projetos paroquiais em colisão, sobretudo no que diz respeito às disputas nas eleições proporcionais. Foto: Divulgação Dilma Em todas as microrregiões do Estado, grupos rivais inconciliáveis e em briga permanente pela hegemonia local estão levando suas disputas para o tabuleiro de apoios onde Delcídio vai montar seu palanque. É óbvio, necessário e compreensível que um candidato a cargo eletivo, notadamente ao Governo, queira ter o máximo possível de forças ao seu lado. O problema é que nem todas essas forças se sujeitam a sacrificar disputas locais em nome do projeto maior que é a eleição do governador. Para citar alguns exemplo, basta ver o que ocorre em algumas microrregiões onde a pré-candidatura de Delcídio espraiou-se pelas mais diversas preferências políticas, partidárias, ideológicas e de grupos. Na região que engloba Aquidauana, Anastácio, Dois Irmãos do Buriti e parte do Sudoeste, dois deputados estaduais que apóiam Delcídio vão lutar pela reeleição: Felipe Orro (PDT) e Osvane Ramos (Pros). Colegas de Assembleia, ambos travam luta sem quartel pelos votos desse colégio eleitoral. Para complicar, outro candidato a deputado estadual está sendo preparado por um terceiro grupo que vai apoiar Delcídio, mas é adversário figadal de Felipe e pretende, no mínimo, encurtar o vôo do pedetista na região. E os motivos são fortes para esse rancor, porque além de dedicar-se a fundo para destronar um dos mentores dessa empreita, o prefeito Fauzi Suleiman (PMDB), cassado pela Justiça Eleitoral, Felipe também passou de aliado a alvo preferido do pecuarista Zelito Ribeiro, que sentiu-se desprestigiado pelo parlamentar na disputa da prefeitura aquidauanense. Em Porto Murtinho e parte do sudoeste – inclusive chegando até Aquidauana –, o ex-prefeito murtinhense Nelson Cintra Ribeiro quer candidatar-se a deputado estadual e subir no palanque de Delcídio. Visa, entre outros objetivos, ficar mais forte para revitalizar sua oposição ao atual prefeito da cidade, o petista Heitor Miranda, irmão do ex-governador Zeca do PT. Além disso, essa candidatura diminuiria também o espaço eleitoral de outros aliados de Delcídio na região, principalmente Felipe Orro. Nem é preciso ser especialista em política para saber qual a reação dos petistas murtinhenses ante a hipótese de ver seu arquirrival vitaminado pelo próprio PT para azucriná-los. Restará ao senador de todos e candidato de todos ao Governo pesar e sopesar o que lhe virá de custo-benefício para timonear sua candidatura ao Governo. E la nave va.