24 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 21º

Vereador questiona investimento de valor arrecadado por tarifas de ônibus

Alan Diógenes

O vereador Chiquinho Teles (PSD) criticou hoje pela manhã na Câmara Municipal a demora do prefeito Alcides Bernal, em não enviar o projeto de redução da tarifa do transporte coletivo.

O prefeito disse durante coletiva de imprensa semana passada, que até hoje (29), a proposta seria enviada à Câmara de vereadores. Mas até as 12h da manhã, o documento ainda não havia chegado à sessão ordinária no Plenário.

De acordo com o vereador Chiquinho Teles, o prefeito está tentando segurar uma das últimas cartas para salvar seu mandato. “Acho que ele está tentando segurar essa carta, por que está sentindo “forte cheiro de guilhotina”, ironiza Chiquinho.

A respeito do anúncio de redução da tarifa por parte do prefeito, Chiquinho Teles disse que o prefeito Bernal somou a redução que a presidente Dilma Rousseff manteve na época das manifestações para se promover com a população.

“Compreendo que a redução é benéfica tanto para população como para nós da Casa de Leis. Mas para mim o prefeito somou os R$0,10 centavos reduzidos pela presidente Dilma, com a redução de R$0,05 feita por ele, e apresentou isso para a população como se ele tivesse reduzido R$0,15.

O ISSQN no setor do transporte representa uma receita de R$ 8 milhões ao ano para o município, ou seja, 3% da arrecadação total. A maior preocupação de Chiquinho Teles é com a aplicação dos seis milhões arrecadados durante os dez meses da administração de Bernal. “Onde era investido esse valor antes da redução do ISS do valor da tarifa? Essa é minha maior preocupação!”, questiona Chiquinho.

Em resposta ao questionamento do vereador Chiquinho, o prefeito Alcides Bernal disse esse valor foi investido em obras e na realização de serviços públicos.

Ele disse ainda que a isenção do ISS do valor da tarifa vai aquecer a economia de Campo Grande. “Com essa isenção, o valor vai direto para o bolso do consumidor que irá economizar nas passagens. Em contrapartida, terão mais dinheiro para movimentar o comércio, por exemplo.

Hoje o passe dos estudantes é gratuito, mas quem desembolsa por isso são os usuários pagantes. Sobre esse fato, o prefeito disse que já está sendo estudada uma maneira de amenizar a situação. “Estamos estudando a ampliação do Fundo Municipal da Tarifa para que a passagem fique ainda mais barata, e não pese no bolso dos usuários”, conclui Bernal.