22 de setembro de 2020
Campo Grande 27º 18º

Já na primeira sessão, vereadores voltam a criticar Bernal

Após discursarem sobre o desejo de harmonia entre executivo e legislativo, durante a cerimônia de reabertura dos trabalhos da Câmara na manhã de ontem, a oposição ao prefeito Alcides Bernal (PP) voltou a criticar a postura do chefe do executivo municipal.

Para o vereador Elizeu Dionizio (SDD), o prefeito Alcides Bernal (PP)declarou estar aberto ao diálogo, mas age de forma diferente quando é procurado por algum dos vereadores. “Existe um abismo entre o discurso e a prática, uma incoerência. Que 2014 comece de forma diferente”, afirmou.

Rose Modesto (PSDB) garantiu que nunca criou entraves para a administração atual, mas reclama do tratamento diferenciado que o prefeito dá aos seus aliados.  “Foi um discurso muito bonito. Se for verdadeiro muita coisa vai mudar em 2014. Com o desgaste todo mundo perdeu muito. As palavras agora tem que se fazer verdadeiras por meio de ações. O vereador tem que apresentar indicação e o secretário que recebê-la esquecer que eu não sou da base do prefeito e atender a população”.

Essa diferença no tratamento entre base e oposição também foi alvo de reclamação de Edil Albuquerque (PMDB). Segundo o vereador, Bernal boicotou uma reunião que ele promoveria entre  a ex-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Kátia Castilho, e alguns empresários da Capital para discutir as obras na Rua Yokohama com a Júlio de Castilho no bairro Santo Amaro – região oeste de Campo Grande.

Santo desconfiado da esmola:

Por outro lado, o vereador Paulo Siufi (PMDB), em tom de ironia, questionou os reais motivos que levaram muitos de seus colegas da oposição a receber Bernal ontem em total clima de paz.  “Nunca vi tanta paz como eu vi aqui ontem. E foi dos dois lados. Quando a esmola é demais o santo desconfia. Fiquei assustado com alguns vereadores”, comentou Siufi.

Diana Christie