23 de setembro de 2020
Campo Grande 31º 17º

Em dez anos, Páscoa deve ter o menos crescimento

Neste ano a expectativa para o comércio na Páscoa é de um aumento de 3,7%m de acordo com a CNC (Divisão Econômica da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo). Esse resultado poderá ser o pior em dez anos.

No ano de 2004 a queda nas vendas da Páscoa foi de 4,5%, já no ano passado o crescimento foi de 4,9% na data, em comparação ao ano de 2012. Os principais fatores para a desaceleração nas vendas foi o comportamento dos preços e o encarecimento do crédito ao consumidor.

De acordo com o IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), em dados do mês de março, os produtos e serviços mais procurados na semana Santa tiveram uma alta de 8,6% nos 12 meses encerrados em março. Os itens com alta foram da passagem aérea, com o aumento de 14,8% nos preços, a cerveja, com 11,4% e os pescados com 9,9%.

As tarifas dos pedágios,  que tiveram aumento de 0,3%, dos chocolates 1,1% e demais bebidas alcoólicas 1,8%, registraram menores oscilações que o índice geral do IPCA-15 no mesmo período, sendo 5,9%. Em comparação ao acumulado nos 12 meses encerrados também em março de 2013, os itens de maior demanda na Semana Santa oscilaram 7,5%.

Tayná Biazus