01 de julho de 2022
Campo Grande 30º 19º

INTERNACIONAL

Americanos: Senado propõe lei que altera acesso a armas de fogo

Após massacre de crianças em escolas do país

A- A+

Um grupo bipartidário do Senado dos Estados Unidos apresentou na terça-feira (21.jun.2022) um projeto de lei que restringe o acesso a armas de fogo no país.

A medida visa vetar a compra por parte de pessoas consideradas perigosas. A medida é vista no país como um avanço significativo no impasse de como lidar com a violência armada. Agora, a lei precisa ser aprovada pelas Casas.

A expectativa é que a votação seja realizada antes do recesso para os congressistas norte-americanos, que começa em 4 de julho.

O projeto foi entregue em um momento em que uma série de ataques a tiros chocam o país.

Mostramos aqui no MS Notícias o ataque a escola  Robb Elementary Schoolem Uvalde, no Texas (EUA). O jovem eixou 21 mortos (19 crianças e duas professoras) em 24 de maio.

Dez dias antes, 10 pessoas foram mortas em um supermercado na cidade de Buffalo, em Nova York em um atentado a tiros.  

Apesar de não atender a todos os apelos feitos por democratas, a proposta de 80 páginas será a mudança mais significativa na legislação de armas dos EUA em décadas, se for aprovada.

Entre as medidas propostas está a melhoria do processo de verificação de antecedentes criminais. Autoridades terão 10 dias úteis para revisarem os registros de saúde mental e de delitos juvenis para menores de 21 anos que queiram comprar armas.

Outros pontos importantes são o uso de recursos federais para o confisco de armas de pessoas perigosas e a proibição da venda para namorados e parceiros com cadastro por agressão doméstica. A lei já existe, mas é restrita a casamentos.

O texto ainda destina recursos para expandir projetos de promoção de saúde mental em comunidades e escolas e para o aumento da segurança em instituições de ensino.

Pessoas que comprarem armas ilegalmente também terão suas penas endurecidas.

O projeto é apoiado pelo presidente norteamericano Joe Biden, pelo líder do Partido Republicano no Senado, Mitch McConnell, e por mais 10 integrantes de cada um dos partidos, Republicanos e Democratas.

Apesar de ter obtido suporte de ambos os lados, a aprovação da proposta é dada como incerta. Enquanto alguns republicanos consideram o projeto muito restritivo, há democratas levantando questões relacionadas à segurança nas escolas e à estigmatização da saúde mental.

FONTE: PODER 360