16 de junho de 2021
Campo Grande 27º 14º

Dilma e Aécio trocam acusações durante último debate

A- A+

 Ao participar do último debate realizado na noite de ontem, os candidatos a presidente da República Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) fizeram entre si e responderam a questões do dia a dia formuladas por eleitores indecisos.

De acordo com o Globo, nas respostas, ambos mantiveram a troca de acusações e ironias de outros debates. O debate teve início às 22h08 e durou uma hora e 50 minutos.

O debate foi dividido emquatro blocos: o primeiro e o terceiro tiveram perguntas entre os candidatos; no segundo e no quarto, Dilma e Aécio responderam a questões de eleitores indecisos selecionados pelo instituto de pesquisa Ibope, que estavam no auditório e foram escolhidos por sorteio pelo mediador William Bonner. No quarto bloco, os candidatos também fizeram as considerações finais.

Por sorteio, Aécio abriu o primeiro e o terceiro blocos, Dilma, o segundo e o quarto. Nas considerações finais, em ordem também definida por sorteio, Dilma falou primeiro. Veja a íntegra das afirmações de cada um.

No começo do bloco, o tucano questionou se a petista achava "adequada" a pena imposta ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado no caso do mensalão a uma pena de sete anos e 11 meses de prisão.  Em resposta, Dilma afirmou que o mensalão tucano, de 1998, sequer foi a julgamento.

"O senhor Eduardo Azeredo (ex-deputado e ex-governador mineiro pelo PSDB) pediu renúncia do seu cargo para o processo voltar para a primeira instância. Há uma diferença expressiva. Houve o julgamento do mensalão ligado ao meu partido.  É necessário dizer que eles foram condenados estão na cadeia. No entanto, o mensalão do seu partido, não teve nem condenados, nem punidos."

Diante disso, Dilma atacou um ponto sensível do PSDB em São Paulo e falou sobre a falta de água no Estado. Para ela, faltou planejamento por parte do governo paulista de Geraldo Alckmin (PSDB).

"Quem não planeja, candidato, não consegue enfrentar os desafios que ocorreram, principalmente em um governo. Eu queria saber como é que o senhor enxerga essa questão da água em São Paulo. Houve ou não houve falta de planejamento?", perguntou ela. Segundo Aécio, a responsabilidade é do governo federal. "Certamente que houve [falta de planejamento], candidata, e, segundo o TCU (Tribunal de Contas da União) do seu governo, não é apenas em São Paulo. Em todo o Sudeste há ausência de água. E a senhora sabe muito bem, nós tivemos a maior crise hídrica dos últimos 80 anos. O governo de São Paulo, diferente do governo federal, buscou fazer o que estava a suas mãos. O eleitorado de São Paulo, a população de São Paulo, decidiu quem estava com a razão", disse ele, se referindo à reeleição de Alckmin.

Dilma lembrou que a responsabilidade sobre a água é do Estado. "Nós somos parceiros do projeto do São Lourenço, que é o único que o Governo do Estado apresentou. Nós demos o dinheiro para fazer o projeto. E estamos financiando R$ 1,8 bilhão".

Dany Nascimento