27 de setembro de 2020
Campo Grande 39º 25º

"Guerras secretas" envolvem EUA, China, Irã e outros países

Nem sempre as guerras entre nações são declaradas e envolvem militares uniformizados e artilharia pesada. Atualmente, China, Vietnã, Estados unidos e Irã são, de acordo com o site Popular Mechanics, alguns dos países que travam "guerras veladas" entre si. Vietnã e China, há tempos, travam disputas territoriais marítimas na região do Mar da China, repleta de ilhas e recursos naturais em abundância. Embora ambos os países estejam enviando dezenas de navios ao local, nenhum dos dois deseja uma guerra declarada, segundo a publicação. A explicação: o comércio bilateral dos dois vizinhos totalizou US$ 65,5 milhões em 2013. Enquanto isso, a Arábia Saudita acompanha com cautela o avanço do Irã sobre o Golfo Pérsico.O Iraque, por exemplo, é hoje lar de milíciais apoiadas por iranianos e grupos politicos. O aliado sírio do Irã, o presidente Bashar Al-Assad, saiu ileso da guerra civil em seu país e inclusive se reelegeu. Além disso, rebeldes xiitas, com quem os sauditas lutaram em 2009, têm atacado guardas de fronteira do país na província de Asir. A Arábia Saudita acusa o Irã de fornecer armas e apoio à milícia. Na contramão, Irã e Iraque acusam a Arábia Saudita de apoiar uma revolta sunita na província iraquiana de Anbar e financiar um grupo egípcio que ameaça a estabilidade iraniana. O governo americano planeja treinar unidade militares de cotraterrorismo para se opor a milicianos em países africanos como Mali e República Centro-Africana. O Níger, por exemplo, deverá receber US$ 15 milhões para criar um batalhão contra grupos que espalham o terror. A Casa Branca pediu, em maio, que o Congresso aprove um fundo de US$ 5 bilhões para treinar e equipar varios países da África e Ásia para eles possam combater redes terroristas. Agência Terra