19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

CORONAVÍRUS

Negacionismo bolsonarista afunda MS; vírus mata mais 29 pessoas e chega a 2.329 óbitos

MS poderia emergir, vencer a doença, mas é preciso primeiro curar as mentes, é preciso enxergar a política como meio de melhor qualidade de vida ao povo e não como futebol ou qualquer outro esporte, política mata e política salva

Boletim Epidemiológico de Mato Grosso do Sul, em seu último dia (31.dez.2020) mostra o avanço expressivo da Covid-19 em MS. De acordo com o documento da Secretaria de Estado de Saúde (SES), nesta 5ª-feira, mais 29 sul-mato-grossenses morreram devido ao vírus. Isso mostra que MS tem mais de uma morte por hora.

Desde o início da pandemia, 2.329 óbitos foram registrados em MS. Segundo a SES, em 24 horas 1.330 exames deram positivos, totalizando 133.761 casos confirmados da doença.

Em tratamento, 14.482 estão em isolamento domiciliar, dos casos que exigem tratamento hospitalar, 360 estão em leitos clínicos e 310 em leitos de UTI, totalizando 670 pessoas internadas.

Em leitos clínicos, 239 pessoas estão internadas na rede pública e 121 na rede privada, na UTI, 220 estão na rede pública e 90 na rede privada.

Na macrorregião de Campo Grande, a ocupação global de leitos UTI/SUS é de 104%, sendo que o excedente da capacidade representa pacientes em leitos Covid-19 ainda não habilitados pelo SUS, mantidos pelas secretarias municipais e estadual de saúde.

Segundo o Boletim Epidemiológico de hoje, em Dourados, a ocupação global é de 83%; em Três Lagoas, de 65% e em Corumbá, de 67%.

AFUNDANDO 

Todos os números acima mostram que o estado que mais eleitores votou em Jair Bolsonaro (sem-partido) continua a seguir os passos do presidente. Caso a população seguisse as regras de isolamento, MS poderia agora ser o estado que menos perdeu pessoas para a doença, mas começa a assistir o quadro mudando. Mato Grosso do Sul foi o estado que o vírus mais demorou para chegar, no entanto, amarga uma derrota expressiva, devido à teimosia e negacionismo da população.    

Ao todo, 872.049 sul-mato-grossenses deram seus votos à Jair Bolsonaro e seguem cegamente os conselhos e instruções do presidente; que além de negar usar máscara, criou clima duvidoso sobre a vacina, criou dúvidas sobre a Organização Mundial da Saúde e em todos os casos, Bolsonaro nunca apresentou provas, apenas meras opiniões, como ele mesmo sempre diz. No entanto, a opinião do gestor leva cada cidadão do estado a negar seguir as instruções do secretário de Saúde, Geraldo Resende, que já disse inúmeras vezes que a população é a única que pode frear o avanço do vírus, mas nada parece comover os eleitores bolsonaristas.  

Em sua última manifestação, Bolsonaro disse estar comovido pela decisão da Argentina de dar direito ao aborto legal. O presidente disse lamentar as vidas inocentes naquele caso, mas não se preocupa com as mais de 133.700 vidas de brasileiros que foram levadas pela doença. Eram trabalhadores, pessoas as quais tinham família, brasileiros que acreditavam com um futuro melhor e nem se quer a piedade de seu presidente tiveram direito.  

MS poderia emergir, vencer a doença, mas é preciso primeiro curar as mentes, é preciso enxergar a política como meio de melhor qualidade de vida ao povo e não como futebol ou qualquer outro esporte, política mata e política salva, cada cidadão pode escolher qual política irá adotar.    

A redação do MS Notícias lamenta, profundamente, a perda de cada um dos mais de 133,7 mil lutadores brasileiros que foram levados pelo vírus, lamenta a população que não enxerga o quanto os atos políticos estão matando, é preciso lembrar-se da empatia: "Amar ao próximo, assim como a si mesmo", isso está esquecido no país governado por Bolsonaro.