20 de outubro de 2020
Campo Grande 30º 21º

Guardas municipais reivindicam projeto aprovado ontem em sessão

A audiência pública realizada na Câmara de Vereadores na manhã de hoje, com o objetivo de discutir assuntos relacionados a região do Ibirussu, reuniu alguns Guardas Municipais que reivindicam o não cumprimento de acordo feito com prefeito, por meio do secretário de governo Rodrigo Pimentel, onde a verba referente ao vale-alimentação, no valor de R$ 150,00, seria paga juntamente ao holerite.

No dia 8 de maio, a associação dos Guardas Municipais se reuniu com o secretário de governo e ficou acordado que o valor do vale alimentação seria pago juntamente ao holerite, a título de verba indenizatória, porém, na sessão da Câmara realizada ontem, foi aprovado um projeto que prevê a liberação do vale, porém, não em dinheiro, mas sim, por meio de um cartão que será distribuído e controlado pelo Sisem (Sindicato dos Servidores e Funcionários Municipais de Campo Grande).

Conforme explicou o assessor jurídico doo sindicato representativo dos Guardas Municipais de Campo Grande, Márcio Almeida, outra exigência dos guardas é que, teria sido pedido o vale alimentação referente a 30% do salário,porém, somente 18%  foi implantado neste ano. Devido a isso, em 2015, 7% e 2016, 5% será pago o restante do valor pedido. A única discordância dos guardas é em relação ao cartão-alimentação e ao Sisem o controlar.

Ainda conforme Márcio, não existe a necessidade de haver o controle do cartão de vale-alimentação pelo Sisem, pois, os guardas possuem o sindicato com mais de 800 filiados, e como o benefício é para eles, quem deveria controlado por eles mesmo. Os guardas pedem que o projeto seja revisto e alterado.

Sisem - O Sisem é alvo de investigação do MPE (Ministério Público Estadual), devido a apropriação indébita de recursos públicos e falsidade ideológica, inquérito nº 520/2013, na época o presidente era Marcos Tabosa, admitiu, neste inquérito, que não houve prestação de conta de 2009 a 2011.