24 de setembro de 2021
Campo Grande 36º 21º

IMUNIZAÇÃO | CAPITAL

Plano previa redução de doses Astrazeneca para não faltar vacina em Campo Grande

Quem tomou esse imunizante tem 2ª aplicação garantida, pelo menos até essa semana; Terceira dose hoje para idosos com mais de 70

A- A+

Já esperada, a redução no número de doses de AstraZeneca enviadas pelo Ministério da Saúde obriga Campo Grande a adotar uma estratégia, para que a imunização das pessoas que já tomaram a primeira dose dessa vacina, não seja prejudicada.

Em escala nacional, já estão sem doses de AstraZeneca suficientes as capitais: São Paulo (SP), Belo Horizonte (BH), Palmas (TO), Florianópolis (SC), Porto Velho (RO) e Rio de Janeiro (RJ). 

“Essa redução iria impactar diretamente no andamento da aplicação da segunda dose, considerando que lá em maio, quando nós recebemos um quantitativo maior de doses, quase que sua totalidade foi utilizada para avançar na aplicação da primeira dose", aponta o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho.

Assim sendo, nas próximas 12 semanas seria necessário contar com o número de doses equivalente ao de pessoas a serem vacinadas, "o que já estava previsto que não ia acontecer", nas palavras de José Mauro. No dia 02 de setembro, Campo Grande recebeu quase seis mil (5,8) doses  de AstraZeneca, quantitativo que deve ser suficiente para dar seguir com aplicação da segunda dose, ao menos, pelos próximos sete dias.

Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), Campo Grande optou por antecipar a conclusão do ciclo vacinal  e reduzir o intervalo da aplicação da segunda dose do imunizante. 

Com isso, o tempo de espera entre a aplicação de uma vacina e outra passou de 12 para 8 semanas. "Decidimos antecipar o calendário para que a gente ganhasse um fôlego e, desta forma, pudesse evitar a paralisação na aplicação da segunda dose de AstraZeneca e, consequentemente, que a população fosse prejudicada”, disse o secretário. 

José Mauro explica que, no caso do imunizante Astrazeneca, não seria viável usar outra vacina, como a da Pfizer, para concluir o ciclo vacinal. "posteriormente poderia faltar para a dose de reforço de idosos e também para a vacinação de adolescentes que ainda não foram vacinados”, acrescenta. 

VACINA NO BRAÇO    

No período da tarde, na Capital, pode procurar a fila da vacina quem busca a dose de reforço e tem mais de 70 anos, que tenham tomado a segunda dose até o dia 09 de abril e também para as pessoas com alto grau de imunossupressão de 18 anos ou mais. 

Pelos mais de 40 pontos, a vacina está disponível até às 16h45 nas unidades de saúde e na Seleta. Nos drives e polos os horários são estendidos, abertos até às 22h. Confira o horário: 

  • Drive-thru Ayrton Senna – 12h30 às 22h
  • Drive-thru Albano Franco – 12h30 às 22h
  • Drive-thru UCDB – 12h30 às 22h
  • Guanandizão – 12h30 às 22h
  • Seleta –12h às 16h45
  • Unidades de saúde – 13h às 16h45    

Vale lembrar que para receber a dose de imunizante é necessário estar cadastrado no site Vacina Campo Grande. Quem ainda não tomou sequer a primeira dose, mas encontra-se dentro da faixa atual, pode procurar qualquer um dos locais de vacinação, com a aplicação feita mediante disponibilidade de doses.

Ainda, de acordo com a responsável por produzir a AstraZeneca em solo nacional, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), na pessoa da presidente Nísia Trindade, afirmou que novas doses desse imunizante só devem chegar no fim do mês, ainda em volume menor. 

Para o secretário, a posição "adiantada" de Campo Grande no caminho da imunização de sua população, garantiria que o serviço de aplicação de vacinas não atrasasse, ainda que interrompido momentâneamente ou enfrentasse uma redução drástica no envio de novas doses.