19 de junho de 2021
Campo Grande 27º 14º

Sem repasse da Prefeitura, enfermeiros da Santa Casa não recebem salário e ameaçam entrar em greve

A- A+

Sem receber salário referente do mês de maio, os enfermeiros que atuam na Santa Casa de Campo Grande podem entrar em greve nos próximos dias. Segundo Siems (Sindicatos dos Enfermeiros de Mato Grosso do Sul), o pagamento do salário deveria ter acontecido na sexta-feira passada.

Hoje às 12h30, os enfermeiros farão uma paralisação das atividades em protesto ao atraso do salário em frente à Santa Casa e amanhã a partir das 8h irão se dirigir em passeata do hospital à Prefeitura para cobrar do Prefeito Gilmar Olarte uma explicação.

“É uma falta de respeito com os profissionais, na semana passada demonstramos nossa preocupação com a possibilidade de atraso que, lamentavelmente, aconteceu. Mas, não ficaremos de braços cruzados, estamos organizando uma série de manifestações contra a postura do município que deixa a saúde, população e trabalhadores em segundo plano”, ressalta o presidente do Siems Lázaro Santana. 

Segundo o presidente da ABCG (Associação Beneficente de Campo Grande), Wilson Teslenco, não foi possível efetuar pagamento do salário dos enfermeiros porque a Prefeitura repassou apenas R$ 4,3 milhões no final da tarde de sexta-feira, ao invés dos R$ 8,1 milhões como havia sido acordado. 

"Com esse repasse parcial não tivemos como efetuar o pagamento integral e já contatamos a Prefeitura e esperemos que o restante seja pago ainda hoje. Caso contrário, vamos negociar com os enfermeiros a possibilidade de fazer pagamento parcelado", explica Teslenco.

Com atraso desse valor, a dívida atualizada da Prefeitura com a Santa Casa é de R$ 30 milhões. Segundo Telenco, o hospital ainda precisa receber R$ 19,7, referente ao total de serviços prestados em abril, mais os R$ 3,8 milhões restantes da dívida de R$ 8,1 de serviços anteriores e há ainda mais R$ 6,5 milhões de atendimentos efetuados em maio que serão faturados. 

A Santa Casa, na semana passada, atendendo a um apelo do Ministério da Saúde, da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul e da Câmara de Vereadores de Campo Grande decidiu manter o atual contrato com Prefeitura até final de maio, com isso, os atendimentos ambulatoriais e as cirurgias eletivas, suspensas no início da semana passada, foram retomados, porém, não há ainda, nenhum acordo fechado de contrato entre Santa Casa e Prefeitura a partir de junho.

"Atendemos um apelo da população e dos poderes legislativos para dar mais uma chance ao município de ser organizar, porém esperamos fechar acordo antes do final de maio, espero realmente que a Prefeitura não deixe para negociar na última hora e possamos terminar o mês com contrato assinado", diz Teslenco.