22 de outubro de 2021
Campo Grande 32º 17º

ESCÂNDALO | VACINAS

VÍDEO: Miranda confirma: foi Ricardo Barros o citado por Bolsonaro na corrupção da Covaxin

Em depoimento na CPI, Luis declarou "vocês não sabem o que eu vou passar", após apontar líder do governo na Câmara como suspeito

Em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), durante perguntas da senadora sul-mato-grossense Simone Tebet (MDB-MS), O deputado federal Luis Miranda (DEM) confirmou que foi Ricardo Barros, líder do governo na Câmara, o deputado citado por Jair Bolsonaro no encontro no Palácio da Alvorada que estaria envolvido na corrupção da compra da Covaxin.

Sendo que Barros é integrante do bloco político conhecido como "Centrão", segundo Luis Miranda, Bolsonaro teria “dado a entender” que “não tem força” para combater o “grupo” deste deputado.

Ricardo Barros foi ministro da Saúde durante o governo de Michel Temer. Hoje, é suspeito de favorecer empresas ligadas ao dono da Precisa Medicamentos, Francisco Maximiano, que é representante da Bharat Biotec no Brasil para o fornecimento da vacina Covaxin.

Miranda já tinha "deixado no ar" o nome de Ricardo Barros durante a fala de Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que apontou: “está lhe faltando coragem para falar o nome de Ricardo Barros”, disse o senador.

Ainda mais incisivo, Alessandro Vieira completou dizendo "“Quando o senhor diz que não se lembra, está ofendendo a inteligência dos senadores, dos brasileiros, e perdendo uma oportunidade".

Em resposta, Miranda afirmou que "existem momentos na nossa vida que seria melhor esquecer o que a gente escutou”.

“Essa CPI já sabe o caminho que ela tem que seguir. Se ela fizer o ‘follow the money’, provará que estamos vivendo uma ilusão", completou ainda o deputado Luis Miranda

Foi então, durante questionamento da senadora natural de Três Lagoas, que Luis Miranda - que já chegou para depor sob escolta de policiais e usando colete à prova de balas -, nitidamente com os olhos molhados, confirmou a suspeita. Confira o momento:

De acordo com o portal Brasil 247, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda afirmou que uma colega - Regina Celia Silva Oliveira - teria dado o aval para a importação da Covaxin, vacina indiana contra a Covid-19, ao Brasil, sendo que tal prerrogativa é de Miranda.

Ainda, o jornalista Leandro Demori, do site The Intercept Brasil, revelou pelo Twitter que Regina Celia foi indicada para o cargo por Ricardo Barros. Durante seu questionamento, o senador Rogério Carvalho questionou Luis Miranda se o deputado acusado por Bolsonaro seria Ricardo Barros. Mas o denunciante desconversou e disse não se lembrar do nome do parlamentar mencionado.

Segundo informações da Agência Folhapress, os membros da CPI já pediram a convocação do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), em decisão tomada após o depoimento do deputado Luis Miranda.

PGE e UFMS realizam palestras sobre os "Novos desafios para o financiamento de direitos"
Política
há 38 minutos

PGE e UFMS realizam palestras sobre os "Novos desafios para o financiamento de direitos"

Oferta de lances para leilão de maquinários da SAD já está disponível
Política
há 39 minutos

Oferta de lances para leilão de maquinários da SAD já está disponível

Quatro estados não resgistraram mortes por Covid-19 nos últimos dias; MS é um deles
Geral
há 1 hora

Quatro estados não resgistraram mortes por Covid-19 nos últimos dias; MS é um deles

Paris 2024: atletas de MS terão bolsas de até R$ 7 mil para competir nos jogos olímpicos
Geral
há 1 hora

Paris 2024: atletas de MS terão bolsas de até R$ 7 mil para competir nos jogos olímpicos

Final de semana tem previsão de tempestade com ventos de até 100 km/h em Mato Grosso do Sul
Geral
há 1 hora

Final de semana tem previsão de tempestade com ventos de até 100 km/h em Mato Grosso do Sul

Caminhoneiros mantêm paralisação geral: "Não quer esmola"
GREVE GERAL | CAMINHONEIROS
há 7 horas

Caminhoneiros mantêm paralisação geral: "Não quer esmola"